Obra intrigante e interessantíssima do autor de “O Mundo de Sofia”, Jostein Garder.

Nesta obra ele introduz o pequeno Hans-Thomas ao mundo mágico da filosofia através de uma trama que envolve mitos antigos, maldições e um antigo livrinho que sugere ao pequeno menino norueguês que, todos nós, humanos ou não, seríamos cartas de um grande baralho e os homens de sua familia seriam os curingas.

“Neste mundo onde a vida e a verdade estão ocultas, apenas umas poucas cartas conseguem ver com clareza. “Apenas o curinga do jogo não se deixa iludir.” Curingas são raros em qualquer baralho, mas sempre existe um para manter viva a esperança e a verdade não deixar morrer.”

“Os curingas estão espalhados pelo mundo, disfarçados em pessoas alienadas e comuns. Não fazem tanto alarde, até chegar a hora de despertar outro curinga para seguir o jogo. Estão sempre presentes, e sempre estarão. E o nosso desejo, nosso mais íntimo anseio, é de ser, ao menos um dia, um curinga.”

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments