“Sim, tenho consciência do “poder do evangelismo”, dos “encontros poderosos”, dos “reavivamentos do riso” e tudo o mais. Eles têm o seu lugar, mas não seria o poder que ansiamos ver não uma questão de chacoalhar os braços das pessoas, de emoção ou de aparato vocal, mas sim o poder para chacoalhar o nosso egoísmo, nossa intolerância, nosso preconceito, nossa preguiça e nosso medo? Estou esperando por um encontro de poder que resulte não apenas no falar em línguas, mas em um dízimo fiel; não apenas no anelo pela cura física, mas no esforço contínuo pela cura racial; não apenas nas manifestações emocionais, mas em uma arte melhor e em uma melhor ecologia e em pessoas mais prestativas. Isso para mim a essa altura seria miraculoso o bastante.”

Brian McLaren, em A Igreja do Outro Lado (Editora Palavra).

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments