“A sociedade de consumo é uma deidade extremamente sedutora. Nenhuma outra tem sido mais gentil e tranquilizadora (“porque você merece o melhor”) ou menos exigente (como indica a paráfrase contemporânea de Allan Bloom: “Eu sou o Eterno, teu Deus, que te tirei da terra do Egito – Relaxe!”).

“O significado de uma vida não está naquilo que você toma, mas, sim, naquilo que você dá.”

“O mundo é desmedido conosco; depois e agora,
Ganhando e gastando, desperdiçamos nossos poderes.”
[Wordsworth]

“E isto nunca será obsoleto,
Uma vez que alguém sempre se surpreenderá
Pela própria sede de ser mais religioso…”
[Philip Larkin]

“Eu suspeito que a maioria de nós sente, de tempos em tempos, a fome de ser mais sério, e foi por isso que escrevi este livro.”

Rabino Jonathan Sacks, em Para curar um mundo fraturado (Séfer).

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments