“No livro de Jó, os que defendem a justiça de Deus são condenados por Deus.”

“A religião que Abrahão estava sendo chamado a iniciar seria uma religião que lutaria por justiça – justiça em termos humanos – a cada nova geração.”

“O judaísmo não é uma religião que aceita o status quo como vontade Divina. É uma fé na qual Deus convida os seres humanos a se tornarem Seus parceiros no trabalho da redenção, a construírem uma sociedade baseada na justiça e por todos percebida como tal, a estabelecerem um mundo humano, sem hubris (a arrogância que leva à queda) ou nemesis, a dignidade denegrida.”

“Ópio do povo? Nada nunca foi menos opiáceo do que essa religião de sagrado descontentamento, de insatisfação com o status quo.”

“No judaísmo, fé não é aceitação. É protesto contra o mundo tal qual é em nome do mundo como ainda não é, mas deveria ser.”

Rabino Jonathan Sacks, em Para curar um mundo fraturado (Séfer).

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments