A biblioteca da Universidade de Oxford, uma das mais antigas da Europa, na Inglaterra só perde em tamanho para a famosa British Library. Seu nome é Bodleian Library, mas o mundo acadêmico de Oxford a chama de Bodley ou simplesmente pelo apelido, “the Bod”.

É uma das seis bibliotecas inglesas encarregadas do depósito legal de obras publicadas no Reino Unido e sob a Lei Irlandesa lhe é permitido requisitar uma cópia de todos os livros publicados na República da Irlanda. A Bodleian é uma biblioteca de referência e pesquisa e seus documentos não podem ser removidos das salas de leitura.

Ela é composta por um grupo de cinco prédios nas proximidades da Broad Street: vão do mais antigo, que data da Idade Média tardia, conhecido como Biblioteca do Duque Humphrey, ao mais moderno, a Nova Bodleian, de 1930. Um dos mais lindos é o Radcliffe (imagem menor). Além desses, fazem parte do conjunto cerca de 30 unidades que respondem pelo funcionamento do grupo, entre bibliotecas de faculdades e departamentos.

No século XIV o bispo de Worcester criou uma biblioteca situada na Igreja de Saint Mary Virgin, na principal rua de Oxford, a High Street. A coleção crescia muito, mas foi entre 1435 e 1437, quando Humphrey, Duque de Gloucester, lhe fez a doação de sua grande coleção de manuscritos que o espaço finalmente foi oficialmente considerado insuficiente e a necessidade de um novo prédio ficou aparente. Em 1488 foi inaugurado um imenso salão em cima da Escola de Teologia. Até hoje esse salão é conhecido como Biblioteca do Duque Humphrey (imagem maior).

No século XVII, Thomas Bodley ofereceu ao vice-chanceler da Universidade a reforma da Biblioteca original e a construção de um novo prédio, que ficou pronto em 1602 e recebeu o nome de seu mecenas, além de herdar sua grandiosa biblioteca particular. E foi quando a Bodleian passou a ser uma biblioteca aberta a todos os membros da comunidade acadêmica.

Seus números são impressionantes: o grupo Bodleian cuida de mais de 11 milhões de itens em 188 quilômetros de prateleiras e tem uma equipe de mais de 400 funcionários. Seu contínuo crescimento fez com que cerca de 1 milhão e meio de itens fossem armazenados em depósitos fora de Oxford, inclusive numa mina de sal desativada, no Cheshire.

O acervo é muito rico: manuscritos valiosíssimos; códices cuja importância é desnecessário enfatizar, bastando citar o mais antigo manuscrito dos quatro Evangelhos, em cóptico, antigo idioma egípcio; a Bíblia de Gutemberg, de ca.1455, uma das únicas cópias completas que ainda existem; um primeiro in-fólio de Shakespeare, de 1623 e muitas outras raridades.

Universidade de Oxford, Oxford, Inglaterra

http://www.bodleian.ox.ac.uk/bodley

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments