EDITORAS DE UNIVERSIDADES E INSTITUIÇÕES PÚBLICAS CRIAM BIBLIOTECAS VIRTUAIS PARA OFERECER LIVROS PELA INTERNET

O livro ainda não acabou, prateleiras de bibliotecas e livrarias continuam abarrotadas e nem o anúncio do sedutor iPad fez caírem os índices da lista dos mais vendidos do jornal New York Times. Mas há, sim, uma batalha travada silenciosamente na galáxia do livro impresso. Enquanto se discute por aí se e-books vão substituir o papel, uma indústria paralela se prepara para digitalizar a maior quantidade de livros possível.

Nos Estados Unidos, a Google passou por cima das leis de direitos autorais e digitalizou 12 milhões de livros. O que não está em domínio público fica indisponível na web, mas permanece integralmente armazenado nos discos rígidos da empresa para futura comercialização.

No Brasil, o projeto mais expressivo começou a ser realizado na Universidade de São Paulo (USP) no ano passado. A instituição disponibilizou na web 1,2 mil volumes da coleção de 40 mil títulos doada por José Mindlin, em 2006. A Biblioteca Brasiliana pode ser consultada por qualquer pessoa com acesso à internet e é um braço de projeto mais amplo que envolve a construção de um prédio para receber o acervo de Mindlin.

Para montar a Brasiliana, a USP conta com um scanner robótico único na América Latina. Dotado de braço mecânico, o equipamento tem capacidade para digitalizar 2,4 mil páginas por hora. “Mas não estamos conseguindo atingir essa meta porque temos livros raros, delicados. Tenho conseguido colocar três livros novos por dia”, conta Pedro Puntoni, diretor da Brasiliana. A intenção é colocar na rede todo o acervo livre de direitos autorais, aqueles livros que já estão em domínio público.

Quem abre mão de folhear as páginas de papel, pode se deliciar com as opções de sites onde podem ser feitos dowloads de livros, sem nenhum custo. Não é novidade que muitos programas já ofereçam este serviço, mas o que se percebe é que cada vez mais instituições também estão aderindo à nova onda.

A Imprensa Oficial do Estado de São Paulo disponibilizou para download mais de 170 livros da “Coleção Aplauso.” Com o intuito de preservar a memória da cultura nacional e democratizar o acesso ao conhecimento, a coleção está composta por biografias de artistas, cineastas e dramaturgos além de roteiros de cinema, peças de teatro e a história de diversas emissoras de TV. Todo o acervo digital pode ser acessado e baixado gratuitamente.

O Portal Domínio Público, site lançado em 2004 pelo Governo Federal, disponibiliza um acervo on-line com obras consideradas patrimônio cultural brasileiro e universal ou que tenham a divulgação autorizada. Por meio da biblioteca virtual, é possível baixar a coleção completa de Machado de Assis, por exemplo. Outro referência na digitalização dos livros é a Biblioteca Nacional.

Rafaela Mazzaro, no Correio Braziliense

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments