Jane Fonda em Barbarella e Paul Newman em Butch Cassidy / Foto: Reprodução

A cultura pop transformou, ao longo das décadas, cenas de cinema em emblemas comportamentais. Audrey Hepburn, como a indefectível alpinista social de “Bonequinha de Luxo”, é hoje um ícone para os fashionistas, que imitam suas roupas, seus penteados e até seu gestual. Paul Newman, por sua vez, fez com que o machão sensível de “Butch Cassidy” se tornasse um modelo de homem desejado pela plateia feminina.

Com essa premissa, a bela obra “Retrato do Artista” (235 páginas, R$ 79,90), que acaba de chegar ao mercado, é composta pelos instantes mais marcantes da atuação de 150 ícones do cinema.

São fotos que eternizam oito décadas da sétima arte de maneira delicada (é o caso de Judy Garland, em “O Mágico de Oz”), enigmática (como Robert de Niro, em “Coração Satânico”), alegre (Meryl Streep em “Julie & Julia”) ou com o peso de qualquer outro sentimento. Talento no olhar e na pose dos fotografados é o que não falta para transmitir o que as cenas pedem.

Para o deleite dos amantes do cinema, estão lá a mais clássica imagem da carreira de Marilyn Monroe – a saia levantada pelo vento em “O Pecado Mora ao Lado” –, Jane Fonda em sua personagem mais emblemática – Barbarella – e Gregory Peck no tocante “O Sol é para Todos”.

A produção nacional também tem vez nas páginas da publicação. Entre nossos representantes, estão retratados a grande dama da dramaturgia, Fernanda Montenegro (em “Central do Brasil”), Rodrigo Santoro (em “Bicho de Sete Cabeças”) e Wagner Moura (em “Cidade Baixa”).

Trata-se, portanto, de um livro atemporal. Uma obra para ter em casa, ler, reler e admirar de tempos em tempos.

Fonte: Band

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments