Um pesquisador canadense afirma ter descoberto referências à literatura na “Mona Lisa”, o mais famoso quadro de Leonardo da Vinci. O professor emérito de História Antiga da Queen’s University Dr. Ross Kilpatrick anunciou acreditar que a obra prima de Da Vinci incorpora imagens inspiradas pelo poeta romano Horácio e pelo florentino Petrarca. A descoberta foi publicada no jornal italiano “Medicea”.

Segundo ele, a técnica de pegar uma passagem da literatura e incorporá-la em uma obra de arte é conhecida como “invenção” e era muito usada por artistas da Renasceça.

“A composição da ‘Mona Lisa’ é impressionante. Por que Leonardo colocou uma mulher atraente sentada em uma sacada, enquanto no segundo plano há um mundo completamente diferente que é vasto e árido? O que o artista está tentando dizer?”, disse o Dr. Kilpatrick.

O professor emérito acredita que Da Vinci estava fazendo referência à “Ode 1. 22 (Integer vitae)”, de Horácio, e dois sonetos de Petrarca, “Canzoniere CXLV” e “CLIX”. Como a “Mona Lisa”, os três poemas celebram a devoção por uma jovem mulher sorridente, com votos de amor e promessas de que ela seria acompanhada por qualquer lugar do mundo, de montanhas úmidas a áridos desertos. As regiões mencionadas por Horácio e Petrarca são semelhantes às retratadas no segundo plano da “Mona Lisa”.

Ambos os poetas eram bastante lidos quando Da Vinci pintou o quadro, no início do século XVI. Leonardo conhecia os trabalhos de Petrarca e Horácio, e a ponte vista no fundo da “Mona Lisa” já havia sido identificada como a mesma da cidade natal de Petrarca, Arezzo.

“A ‘Mona Lisa’ foi pintada em uma época em que a grande literatura era muito conhecida. Ela era citada, referenciada e celebrada”, contou o Dr. Kilpatrick.

O professor vem estudando as referências literárias na arte pelos últimos 20 anos. Recentemente, ele encontrou referências ao mítico casamento dos deuses gregos Ariadne e Dionísio na famosa pintura de Gustav Klimt “O beijo”.

Fonte: O Globo

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments