Os sebos são uma opção ao preço e ao acervo das livrarias, nem sempre atraentes. A desvantagem é o difícil exercício de garimpar em dezenas de estantes o tão procurado título. Na tentativa de driblar esse empecilho, o sebo on-line Estante Virtual ganha força

Mayara de Araújo

Ralden de Souza, da Arte & Ciência: vendas on-line são 20% do faturamento da loja

Uma alternativa a esse problema (diga-se de passagem bem menos arriscada que a ilegal prática de fotocópia) são os sebos: lojas especializadas na venda de livros usados, em geral a preços módicos. A alternativa, contudo, exige tempo e paciência, muitos mais do que em livrarias. Nos sebos, é preciso ainda sorte (e, em alguns, resistência das vias respiratórias) durante a árdua atividade de garimpar suas preferências em casas abarrotadas de títulos (e, consequentemente, de ácaros).

Em solidariedade ao desejo de muitos, o administrador André Garcia, motivado pela dificuldade de encontrar títulos necessários ao seu mestrado, montou, há cinco anos, um modesto portal que serviria de ponto de encontro de compradores e vendedores de livros. Assim surgiu o Estante Virtual, o maior site de compartilhamento de livros do País, detentor da exuberante marca de cinco mil título vendidos por dia.

Segundo dados do próprio site, em 2004, antes do portal existir, apenas seis sebos brasileiros disponibilizavam catálogos na internet. Cerca de 100 estabelecimentos até possuíam endereços eletrônicos, a maioria, precários. Autodidata em programação, André Garcia conseguiu colocar o site no ar em 20 de outubro de 2005, após alguns meses de muita pesquisa em HTML. Meses depois do lançamento, o portal já continha o cadastro de dezenas de sebos brasileiros e, em 2006, já era o maior acervo de livros usados na internet brasileira.

Títulos

Na Estante Virtual, é possível encontrar títulos de todos os gêneros e estilos, desde acadêmicos, teóricos e técnicos à literatura nacional e estrangeira, revistas e até quadrinhos. Os preços são por demais variados, indicados pelos próprios vendedores e taxados de acordo com a qualidade do livro e a sua procura.

Em alguns cadastros, é possível ver fotografias do livro e descrições do seu estado de conservação, o que influencia nos preços. Livros novos, recém lançados também podem ser encontrados no endereço virtual, já que não apenas sebos se inscrevem, mas também livrarias. “A Cabana”, de Wiliam P. Young pode ser encontrado de R$ 9,90 em um sebo de Belo Horizonte (MG) até R$ 29,90 por um livreiro virtual de São Paulo.

O preço, contudo, não é o único atrativo do portal, mas a possibilidade de encontrar obras que estão fora de catálogo. A zineira Fernanda Meireles, de Fortaleza, tornou-se, desde o ano passado, uma consumidora assídua do Estante Virtual. Tudo começou quando ela e sua noiva decidiram comprar livros que não conseguiam encontrar nas livrarias.

“Eu comprei ´Lentidão´, do Milan Kundera, e ela, ´ Historia de Cronópios e Famas´, do Julio Cortázar”, comenta Fernanda. Para ela, uma das principais vantagens do site é o livre acesso aos vendedores. “O site é fácil de mexer e eles mandam vários e-mails ao longo da compra. Uma vez, esqueci a senha do site e me comuniquei direto com o livreiro, por um e-mail que ele tinha me mandado”, revela a fanzineira.

Verdadeiras raridades do acervo mundial podem ser também encontradas, livros tais que superam os pequenos valores, tão estimados pelos compradores.

Um exemplo é a primeira edição de um livro chamado “Formula I” escrita pelo piloto austríaco Niki Lauda, datado de 1977. Em capa dura e bom estado de conservação, a obra contém 11 autógrafos de pilotos em suas respectivas fotos: Mario Andretti, Ronnie Peterson, Alan Jones, Emerson Fittipaldi, Carlos Reutemann, Vittorio Brabilla, Jacques Laffite, John Watson, Patrick Depailler, Jody Scheckter, Rolf Stommelen, além de outros sete autógrafos não identificados pelo vendedor. O livro está à venda por uma livraria de Curitiba (PA) pela bagatela de 50 mil reais. Ah, sem esquecer os R$6,70 de frete.

Rankings

Atualmente, o site reúne mais de 1.800 sebos e livreiros virtuais em mais de 323 cidades brasileiras. O total de sete milhões de livros online cadastrados proporciona, além da democratização na procura por melhor título e melhor preço, uma maior diversidade quanto aos livros mais comprados.

Bem diferente dos rankings das livrarias convencionais ou das grandes revistas, a lista de livros mais vendidos na Estante Virtual apenas J.K. Rowling e Elisabeth Gilbert representam os best-sellers (“Harry Potter e a Pedra Filosofal”, em quarto lugar, e “Comer Rezar Amar”, em oitavo). Surpreendentemente, o mais vendido é o espirita e sobrenatural título de Divaldo Pereira Franco, “Transição Planetária”, lançado em 2010. Nele, o médium, que recebe as informações do espírito Manoel P. De Miranda, comenta a relação das últimas catástrofes naturais com um suposto período de mudanças espirituais do planeta.

O segundo lugar também não soa muito convencional. “Mulheres que correm com os lobos”, da americana de ascendência mexicana Clarissa Pinkola Éstes. A obra é um ensaio psicológico sobre a alma feminina, publicado originalmente em 1992. A partir de 19 mitos, contos de fadas e lendas, a autora identifica os arquétipos da mulher selvagem, instintiva, e mostrando como ela foi perdendo essa característica ao longo dos anos. A partir do terceiro lugar, nomes mais conhecidos, como Gabriel Garcia Marquez, Aldous Huxley, Milan Kundera e Rubem Fonseca.

No Ceará

Dentre os 1800 sebos presentes na Estante Virtual, seis deles são cearenses. Integrante desse pequeno número está a Livraria Arte e Ciência, localizada na Avenina 13 de maio, em Fortaleza. Além de livraria, o estabelecimento possui também um sebo, com cerca de seis mil títulos. Há dois anos, eles foram convidados a fazer parte da Estante Virtual pela equipe do site.

“Eles descobriram nosso e-mail e nos mandaram um convite. Disseram que estavam procurando pelo menos um livreiro de cada capital do País. Em junho de 2009, nos cadastramos”, conta Ralden de Souza, gerente da livraria.

Segundo ele, a venda online representa em torno de 20% do faturamento da loja. A vantagem do cadastro foi poder expandir as vendas para âmbito nacional e facilitar o acesso ao acervo, inclusive para os compradores locais. “Muitos dos nossos compradores presenciais da loja, consultam nosso acervo no Estante Virtual antes de vir aqui, por praticidade mesmo. Alguns, que dizem não confiar em compras pela internet, solicitam o livro pra gente e nós pedimos pra ele”, comenta Ralden.

O gerente, no entanto, em tom de crítica, revela uma outra perspectiva do negócio. De acordo com ele, o aumento de leitores vendendo seus próprios livros está tornando a concorrência acirrada para os sebos, o que tem ocasionado uma significativa queda nas vendas. “O site permite que o comprador também venda, ele pode ter uma estante com 100 livros pra vender. Essas pequenas vendas é que estão saturando a das lojas, porque nós precisamos cobrar outros valores em cima do preço do livro, o leitor não”, argumenta.

De qualquer modo, Ralden afirma que, acima de tudo, o Estante Virtual foi um pontapé inicial para muitos livreiros que ainda não tinham se dedicado à criação de seus próprios endereços virtuais. Atualmente, a livraria Arte e Ciência já possui seu próprio site e está cadastrando seus títulos.

MAIS INFORMAÇÕES

Site estante Virtual: http://www.estantevirtual.com.br

Fonte: Diário do Nordeste

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments