Este ano a campanha tem o apoio da Fundação Abrinq, do Exército da Salvação, da Sempre um Papo e da Ong Visão Mundial

José Luiz Goldfarb (foto: divulgação)

A campanha #doeumlivro está se aproximando dos 100 mil livros. Até agora foram arrecadados 98 mil livros. A expectativa é que supere, até o dia 31 de janeiro, os 180 mil livros recebidos no ano passado. “A campanha é mais um exemplo de como as redes sociais que se formam no twitter podem extrapolar os limites da dimensão virtual, ganhar as ruas das cidades, fazer a diferença e transformar a realidade”, afirma José Luiz Goldfarb, diretor de divulgação da campanha.

A campanha #doeumlivro, surgida no twitter, chegou aos 98 mil livros arrecadados. No dia 22 de dezembro, o número era de 15 mil. A expectativa dos organizadores é que até o dia 31 de janeiro, data de encerramento, ultrapasse os 180 mil da primeira edição, no ano passado (dezembro de 2009 a janeiro de 2010). Há postos de arrecadação em diversos parceiros da campanha, como o Rotaract Club (Rotary Club para jovens de 18 a 30 anos), a Wisard e a Droga Raia. Não são aceitos livros didáticos. De acordo com José Luiz Goldfarb, diretor de divulgação da campanha, o #doeumlivro já é um dos assuntos mais comentados no twitter.

A abrangência e legitimidade da campanha foram garantidas quando o #doeumlivro ganhou o apoio do Conselho de Secretários Estaduais de Educação (Consed), que abriu as portas das Secretarias de Estados de Educação para que os livros sejam recebidos; e da Droga Raia, que disponibilizou suas 354 lojas para a doação de livros (em São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná).

Este ano a campanha tem o apoio da Fundação Abrinq, do Exército da Salvação, da Sempre um Papo e da Ong Visão Mundial. A entrada do Rotarct e da Wizard deixam a campanha ainda mais forte, com locais para doação em quase todos os estados brasileiros”, diz Goldfarb, que acrescenta: “as pessoas estão se conscientizando que aquele livro parado em casa na estante muitas vezes pode ser uma bela doação. A gente fala muito em programas de incentivo à leitura no País, mas não há como aumentar o número de leitores se não ampliarmos a distribuição dos livros, se não possibilitarmos o acesso da literatura a todos”.

Campanha surgiu no ano passado

De maneira informal, no ano passado alguns twitteiros passaram incentivar outros twitteiros a doarem livros no final do ano. A proposta teve receptividade e adesão avassaladoras e logo se tornou a campanha #doeumlivrononatal. Organizada por Heber Dias de Souza, José Luiz Goldfarb e Laura Furquim Xavier, a campanha se tornou um dos assuntos mais comentados no ambiente do twitter (em alguns dias a TAG chegou a ser a mais mencionada no twitter brasileiro) e foi “abraçada” por artistas, jornalistas, políticos e empresários, como Maria Rita, Serginho Groisman, Paulo Coelho, Willian Bonner, entre outros. Rapidamente a iniciativa evoluiu para um projeto objetivo e consistente, com parcerias em todo o País. Muitos postos de coleta foram disponibilizados e os livros começaram a surgir – de forma surpreendente e em grande quantidade. Ao final, foi arrecadado o surpreendente número de 180.455 livros.

Este ano, a campanha passou a se chamar “Doe um Livro” (#doeumlivro), para se tornar ainda mais abrangente. Segundo os organizadores, as obras arrecadadas serão distribuídas em comunidades carentes, além de bibliotecas públicas e de escolas.

Segundo o diretor José Luiz Goldfarb, também curador há 20 anos do Prêmio Jabuti, professor e diretor do programa de Estudos de Pós-Graduação em História da Ciência da PUC-SP, diretor da Câmara Brasileira do Livro (CBL) e coordenador de diversos projetos de incentivo à cultura, “a campanha é mais um exemplo de como as redes sociais que se formam no twitter podem extrapolar os limites da dimensão virtual, ganhar as ruas das cidades, fazer a diferença e transformar a realidade”.

Para Goldfarb, assim como aconteceu no ano passado, a campanha ganhou umais com o início de ações coletivas que despertam atenção e potencializam ainda mais a doação de livros. “Como a campanha cresceu e conquistamos mais parceiros, temos a expectativa de que as doações cresçam ainda mais agora na última quinzena de janeiro”, diz. E acrescenta: “quem tem livros parados em casa, principalmente aqueles que não mais serão lidos, pode levá-los até um dos locais de arrecadação. E este livro, que hoje está à espera de leitores, será lido por várias pessoas….
Laura Furquim Xavier, coordenadora do projeto, conta que muitos dos usuários do twitter anexam ao seu avatar (nomes e/ou foto de identificação) o boton (twibbon) da campanha.
Os locais de coletas podem ser encontrados no site da campanha: http://www.doeumlivro.com.br (ou, para a campanha via twitter, @doeumlivro).
A campanha está nos seguintes estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso do Sul, Bahia, Pernambuco, Sergipe e Pará, alem do Distrito Federal.

Sobre José Luiz Goldfarb

Paulistano, atua em diversas áreas do conhecimento. Possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Filosofia e História da Ciência – McGill University, Canadá (1980) e doutorado em História da Ciência pela Universidade de São Paulo (1992). É curador há 20 anos do Prêmio Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, considerado a principal premiação da literatura do país; professor e diretor do Programa de Estudos de Pós-Graduação em História da Ciência da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo; coordenador de diversos programas de incentivo à leitura (São Paulo: um Estado de Leitores”, da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo; “Letras de Luz”, da Fundação Victor Civita/Energias do Brasil, nos estados do Tocantins, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul e São Paulo; e “Rio: uma cidade de Leitores”, da Secretaria de Educação da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro); coordenador do Corredor Literário na Paulista, da Secretaria de Estado da Cultura; oficiante do culto da sinagoga da Associação Brasileira “A Hebraica” de São Paulo; conselheiro da Biblioteca Haroldo de Campos (Casa das Rosas – Secretaria de Estado da Cultura); e presidente do conselho deliberativo da Associação Amigos do Museu Judaico de São Paulo, entre outros. Tem grande conhecimento em História, com ênfase em História das Ciências, atuando nos seguintes temas: história da ciência e ciência no século XVII, influências herméticas em Isaac Newton, ciência e religião, história da ciência no Brasil; bibliotecas públicas, políticas públicas de promoção do livro e da leitura, judaísmo e cinema, além da elaboração, produção, viabilização e implantação de projetos e eventos culturais. É fundador e um dos coordenadores nacionais do ETC (Encontro dos Twitteiros Culturais). Tem cerca de 12 mil seguidores no Twitter. Além disso, coordena o Twitter da PUC/SP.É também presidente da recém instaurada Cátedra de Cultura Judaica da PUC/SP”.

Fonte: Bagarai

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments