Os livros que inspiraram os filmes do Oscar
Texto de Danilo Venticinque publicado originalmente na Revista Época
 

Todos os anos, no primeiro trimestre, as editoras pegam carona na popularidade dos indicados ao Oscar e invadem as livrarias com títulos que inspiraram os favoritos da Academia. Em 2011, foram três os lançamentos:

127 horas, O discurso do rei e Bravura indômita, que deram origem aos filmes de mesmo nome. A lista é completada por Bilionários por acaso, lançado em 2010, que volta a ganhar destaque graças ao sucesso de A rede social

Os livros trazem detalhes das histórias exibidas nas telas. Em 127 horas, o livro, é possível conhecer melhor os devaneios do alpinista Aron Ralston durante o período em que seu braço ficou preso numa rocha, antes que ele próprio o amputasse. Bilionários por acaso foi a obra que trouxe a público as acusações de que Mark Zuckerberg teria roubado a ideia de colegas da Universidade Harvard para fundar o Facebook. Em O discurso do rei, o neto do terapeuta da fala Lionel Logue narra como seu avô combateu a gagueira do rei George VI, da Inglaterra. A intimidade dos dois é central na trama. No livro, apesar da proximidade, Logue só se dirige a George VI como “Vossa Alteza Real”. No filme, ele o chama de Bertie.

Há diferenças entre a trama da única obra de ficção na lista – Bravura indômita, de Charles Portis – e as duas versões filmadas, de 1969 e 2010. No filme de 1969, a história foi remendada para que o protagonista, vivido por John Wayne, aparecesse mais. Na versão atual, o mesmo papel, interpretado por Jeff Bridges, também ganhou mais espaço. Mas a essência da jornada de vingança de uma garota de 14 anos contra o assassino de seu pai mantém sua força.

Não há motivo para ninguém se sentir culpado diante desses livros. Quem decidir trocar as livrarias pelos cinemas não perderá muito. Quem preferir ler para saber mais sobre as histórias que ganharam Hollywood não ficará decepcionado.

Divulgação

O discurso do rei
Mark Logue e Peter Conradi
(José Olympio)
O livro narra a história de Lionel Logue, o terapeuta que ajudou o rei George VI da Inglaterra a vencer a gagueira. O autor, Mark, é neto de Lionel

   Divulgação 

 
Divulgação

Bilionários por acaso
Ben Mezrich

(Intrínseca)
Autor de Quebrando a banca, que também chegou às telas, Mezrich revela a disputa que está na origem do Facebook, fundado por Mark Zuckerberg

   Divulgação

 
Divulgação

127 horas
Aron Ralston

(Seoman)
Depois de passar cinco dias preso por uma rocha num cânion e de amputar seu braço para escapar, o alpinista narrou sua experiência

  Divulgação

 
Divulgação

Bravura indômita
Charles Portis

(Alfaguara)
Ofuscado pela adaptação ao cinema com John Wayne, o livro volta às prateleiras. Na trama, uma garota de 14 anos busca vingar a morte do pai

  Divulgação

 

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments