Neste domingo (27), comemoramos o Dia Nacional do Livro Didático. Grande parte dos brasileiros que manuseiam um livro didático, um dicionário ou uma obra literária nas escolas públicas dificilmente tem ideia do empenho do Ministério da Educação em dotar as bibliotecas e as redes escolares com essas obras e do caminho percorrido para chegar ao atual nível de qualidade. A trajetória do livro didático no Brasil remonta ao ano de 1929, em que o governo criou o Instituto Nacional do Livro (INL). Ao longo das décadas, a política oficial para o livro didático passou por diversas adaptações até chegar ao atual Programa Nacional do Livro Didático, criado em 1985.

A partir daquele ano, o professor passou a escolher o livro mais adequado aos seus alunos e ao projeto político-pedagógico da escola. A reutilização do livro e a introdução de critérios de produção, seguindo normas técnicas, com o objetivo de garantir maior durabilidade e qualidade do material, também foram importantes avanços. Em 2004, foi anunciada a desoneração fiscal do livro no Brasil. Com a medida, deixaram de pagar contribuições como o PIS, Cofins e Pasep. A decisão, que partiu do FNDE, com o objetivo inicial de diminuir o custo de aquisição dos livros didáticos, estimula a leitura e beneficia a toda a população.

O livro faz toda a diferença na formação da criança. Embora estejamos na era da informática, as histórias infantis fazem a criançada viajar num mundo de fantásticas aventuras. O livro constitui um meio fundamental para conhecer os valores, os saberes, o senso estético e a imaginação. Como vetores de criação, informação e educação, permitem que cada cultura possa imprimir seus traços essenciais e, ao mesmo tempo, ler a identidade de outras. Janela para a diversidade cultural e ponte entre as civilizações, além do tempo e do espaço, o livro é, ao mesmo tempo, fonte de diálogo, instrumento de intercâmbio e semente do desenvolvimento.

Autor: Vicente de Paula Souza –

Pedagogo, mestre em Administração Universitária

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments