Originalmente publicado na Revista Fator.


Em meados do século XIX, a Europa vivia sob um regime moral extremamente rígido. A liberdade não era uma atitude, mas uma repressão, principalmente às mulheres. Não à toa, a moda estava impregnada de roupas pretas e sóbrias. Para as mulheres desse período, viver implicava em fazer o que a sociedade impunha: casar, ter filhos, ir à igreja e viver à sombra de maridos e pais.

Já na literatura, alguns homens começaram a se impor de maneira diferente: Victor Hugo, Gustave Flaubert, Charles Baudelarie e Émile Zola buscavam na realidade uma nova maneira de mostrar o mundo. O romantismo francês, dessa forma, ganha contornos mais efetivos.

Um dos livros mais controversos dessa época é Madame Bovary, de Gustave Flaubert. O livro, lançado em 1857, chocou a sociedade francesa da época por tratar o adultério feminino de maneira realista e contundente e mostrar a hipocrisia da sociedade e da igreja. O romance levou o autor aos tribunais, por atentar a moral e a igreja. Para se defender, Flaubert usou uma frase que ficou eternamente famosa: “Emma Bovary c’est moi” (Emma Bovary sou eu).

Uma mulher à frente do seu tempo. Mas a transgressão de Madame Bovary não é fruto de uma mulher devassa por natureza. Antes, é obra de uma insatisfação com a vida sem graça e tediosa, que a levou a trair o marido sem expressão e dedicar uma vida mais prazerosa ao lado dos amantes. Na verdade, Emma não queria o sexo pelo sexo, ela estava atrás de um sentimento verdadeiro, um amor que realmente valesse a pena. Mas os romances não deram certos, e Emma entrou em um processo de depressão que a levou a tirar a própria vida.

Trágico. Assim pode dizer que foi a vida de Madame Bovary, que apenas queria viver sem as convenções impostas pela sociedade. Inspirada nessa grande mulher, que é ficcional, mas talvez inspirada em mulheres da época, a OuseUse Lingerie lança sua nova coleção outono/inverno 2011.

As rendas, os veludos, os laçarotes, fitas de cetim e trançados sobressaem na coleção. A cartela de cores é sóbria: preto, marinho, verde escuro, marrom e bordeau estão as principais cores. São peças sofisticadas, que lembram o período com a presença de pérolas, sombrinhas, meias, luvas e leques. A sensualidade está presente nas peças, mas com certo ar ingênuo, característica presente em Madame Bovary.

OuseUse e Madame Bovary- Certo é que os tempos de Madame Bovary ficaram para trás. De lá para cá, o papel da mulher na sociedade tornou-se fundamental. Sua presença pode ser vista em todos os aspectos da sociedade e a liberdade de escolha é uma opção a mais em sua vida. Madame Bovary foi uma mulher ousada. Tudo a ver com a OuseUse Lingerie, que tem como premissa a ousadia. Ajudar a mulher se sentir bem consigo mesma.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments