Publicado originalmente no UOL
Capa do livro Code Word: Geronimo, que traz em 88 páginas os detalhes da operação que matou Bin Laden, em 1º de maio deste anoOs detalhes da operação militar americana que matou o líder da rede terrorista Al Qaeda serão revelados no livro “Code Word: Geronimo”, de autoria do militar aposentado Dale Dye e de Julia Dye. O livro em quadrinhos vai trazer mais informações sobre como os americanos capturaram e mataram o homem mais procurado do mundo.

O nome Geronimo faz referência ao codinome usado pelos militares americanos para falar do terrorista e que deu nome à operação que o matou.

No livro, que será lançado em 6 de setembro, os autores reconhecem que o sucesso da operação dependeu muito dos soldados que a conduziram, por terem mantido segredo e planejado uma ação perfeita, do ponto de vista operacional. Por isso, parte da renda obtida com as vendas do livro será doada ao Centro Americano de Veteranos de Guerra.

“Oficiais de todas as partes e de diferentes administrações fizeram isso ser possível”, disse Julia. Para ela, o trabalho era necessário para a nação, especialmente por terem vivido “tanto tempo na sombra de Bin Laden”.

“É uma celebração americana”, completou ela ao falar do que a ação representou para o povo americano.

Quem assina as ilustrações são os artistas Gerry Kissell e Amin Amat.

O lançamento será feito na semana que antecede o aniversário de 10 anos dos atentados de 11 de setembro de 2001.

A editora IDW, de São Diego, que também já publicou livros como “G.I. Joe”, “Strar Treck” e “Doctor Who”, disse que a história sobre a captura de Bin Laden vai atrair novos e velhos leitores de quadrinhos.

O editor Tom Waltz e um oficial que esteve na Guerra do Golfo e já teve acesso ao livro disseram que ele é uma versão detalhada da missão.

“Eu realmente acredito que ninguém vai ter mais informações detalhadas sobre esse momento a não ser por um militar dos SEAL [grupo militar que efetuou a operação]”, disse Waltz.

“Sabíamos que em algum momento, algum jornalista ou novelista, ou um grande escritor contaria essa história”, disse Dale, que já escreveu roteiros  para novelas, filmes comerciais, e produções para a TV, já tendo participado de filmes como “Platoon” e séries como “The Pacific”.

“O que precisamos é celebrar isso. Nós acertamos dessa vez”, completou ele lembrando da operação Desert One, para resgatar reféns americanos no Irã.

A história começa com uma pick-up andando em uma estrada empoeirada no Paquistão. A imagem muda rapidamente para uma base militar americana no Afeganistão, e depois para a Casa Branca, nos EUA, e depois para a casa onde Bin Laden estava escondido, em Abbottabad. A partir daí, entram em cena os helicópteros e soldados.

Segundo os ilustradores, o livro foi desenhado com o intuito de não incluir “violência gratuita”. “Essa é a história de uma missão histórica, não de um festival de sangue. O que nós vamos desenhar será realístico, mas não mais do que o necessário”, disse a dupla de ilustradores em um comunicado enviado à “Associated Press”.

Os membros do Navy SEAL são identificados por nomes fictícios na história, por “motivos de segurança”. O único integrante da equipe que tem seu nome real usado é o cão, Cairo.

Dye usou sua experiência como ex-integrante da Marinha Americana e também seus contatos, para detalhar melhor a ação.

“Passei muito tempo conversando com alguns membros da Marinha, assim como com grupos especiais. Sei que não posso revelar todas as informações. Afinal, você não quer que os outros saibam quais são seus segredos para atacar o outro”, disse ele.

Na história, o leitor acompanha o momento em que o presidente americano Barack Obama aprovou o ataque usando o helicóptero em vez de um bombardeio com mísseis.

“Pudemos saber quase tudo o que aconteceu, e tivemos que separar o que era apropriado para o público”, disse Julia, que achou divertido o fato de um cão fazer parte da operação.

O presidente Obama e outros membros do governo são mostrados em uma sala na Casa Branca, de onde acompanharam a operação. Há cenas do corpo de Bin Laden sendo carregado para o helicóptero e depois para o navio, antes de ser jogado ao mar.

A história termina com o pronunciamento de Obama dizendo que Bin Laden estava morto, seguido de dois militares fazendo um brinde.

*Com informações da Associated Press

 

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments