Originalmente escrito por Marcelo Naranjo no Universo HQ.

O álbum Auto da Barca do Inferno é o sétimo título da coleção Clássicos em Quadrinhos, da editora Peirópolis.

Na adaptação, o texto de Gil Vicente, escrito originalmente em 1517, consta na íntegra e em português arcaico, porém há notas nas páginas com a tradução de algumas palavras e termos que facilitam o entendimento do leitor.

A adaptação é de Laudo Ferreira, que também teve a ideia do projeto. De acordo com o autor, além do grande interesse pelo texto e pela temática da obra de Gil Vicente, um detalhe que ajudou muito na adaptação foi a ligação que tinha com o escritor, pois sua esposa, que é atriz, trabalhou durante anos com esse texto no teatro.

Para a adaptação, Laudo contou com a assessoria literária do dramaturgo e professor de literatura Maurício Soares Filho, que já realizou várias montagens teatrais do texto de Gil Vicente.

Na história, num indefinido cais, duas embarcações, uma destinada ao céu e outra para o inferno, esperam seus passageiros para a derradeira viagem de todos. As figuras que por lá passam representam figuras da sociedade portuguesa da época e que refletem modelos da nossa atual sociedade.

Figuras como o fidalgo, a cafetina, o agiota, os juízes corruptos, o homem que morre no lugar de outra pessoa – todos julgam merecer o céu, mas já têm espaço reservado na barca do inferno.

O álbum tem cores de Omar Viñole.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments