Publicado originalmente no Valor Online.

Após um 2009 turbulento, quando o lucro caiu pela metade, a Ediouro organizou a casa no ano passado e agora tem planos ambiciosos para 2014. Até lá o grupo editorial quer dobrar de tamanho e atingir um faturamento de cerca de R$ 600 milhões. Para conquistar tal meta, a Ediouro promoveu uma série de mudanças no grupo que conta com gráfica, editora, revistas, impressão de livros sob demanda, palavras cruzadas e gibis.

Entre as novidades, está a entrada da Ediouro na área de educação, mais precisamente no segmento de sistemas de ensino (apostilas). O grupo editorial firmou parceria com o Mackenzie, que desde 2006 tem um sistema de ensino próprio. “A meta é atender 200 mil alunos de escolas públicas e privadas nos próximos dois anos”, disse Luiz Fernando Pedroso, diretor geral da Ediouro. “Nosso sistema de ensino tinha um viés religioso porque o Mackenzie é uma instituição de ensino presbiteriana. Mas nessa nova fase estamos criando um novo sistema de ensino sem esse viés religioso”, explicou Debora Muniz, gerente de educação básica do Mackenzie, que será responsável pela produção do conteúdo das apostilas. A negociação com as escolas ficará a cargo da Ediouro.

Outra novidade é a associação com a gráfica mineira Esdeva, cuja parceria hoje se resume em compras em conjunto de insumos e tintas, mas pode se tornar uma fusão no futuro. A Esdeva é uma das maiores gráficas do país com receita na casa dos R$ 300 milhões, praticamente o dobro da gráfica da Ediouro. A gráfica mineira é um dos negócios da holding dona do jornal ” A Tribuna de Minas ” e a rádio ” Solar FM “.

Na área editorial, a Ediouro vai entrar no segmento de bíblias por meio da Thomas Nelson  Brasil, a líder em venda de bíblias nos Estados Unidos e cuja operação brasileira está nas mãos do grupo carioca desde 2006. “Esperamos chegar em 2013 com cerca de 700 mil bíblias vendidas em parceria com editoras locais que já atuam nesse segmento religioso”, diz Pedroso.

Outra frente de atuação é a Duetto, editora de revistas que até 2008 tinha o controle acionário compartilhado com a Segmento. Neste primeiro semestre, foram lançados 11 títulos e uma das principais novidades para o próximo ano deve ser o lançamento de uma revista da apresentadora Ana Maria Braga, nos mesmos moldes da revista da apresentadora americana Oprah Winfrey. Pedroso confirmou que haverá a publicação e a tiragem prevista é de 100 mil exemplares por mês.

Pedroso acredita que as novidades comecem a dar resultado neste ano. A previsão é faturar R$ 304 milhões. Em 2010 a receita líquida foi de R$ 229,7 milhões e o lucro líquido, R$ 15, 4 milhões.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments