Publicado originalmente no RTP

 O próximo romance de Stephen King tem garantida a adaptação ao cinema pelo realizador de “Silêncio dos Inocentes”.                                                                                                                                                  

Cineasta Jonathan Demme

Jonathan Demme adquiriu os direitos de adaptação ao cinema de “11/22/63”, o próximo romance de Stephen King.

O livro relata a história de Jack Epping, professor numa pequena cidade do Maine que viaja no tempo até 1958. Jack apaixona-se por uma bibliotecária, contacta com diversas personagens da altura, de Elvis Presley a Lee Harvey Oswald, e acaba envolvido no assassinato do Presidente John Fitzgerald Kennedy.

Está previsto que “11/22/63” fique disponível para os leitores a partir de 8 de Novembro, mas Demme decidiu garantir desde já os direitos para o grande ecrã. O realizador irá também produzir o filme através da sua companhia de produção, a Clinica Estetico.

Será o regresso de Jonathan Demme às longas-metragens de ficção após “O Casamento de Rachel”, em 2008.

Robert Jonathan Demme, nasceu em Nova Iorque em 1944. Começou a trabalhar no cinema com Robert Corman, durante os anos 70. Após uma série de lançamentos de menor sucesso e de ter filmado o inesquecível “Stop Making Sense” (1984) com os Talking Heads, atingiu finalmente a popularidade com a comédia “Selvagem e Perigosa” (1986).

O seu maior sucesso foi “Silêncio dos Inocentes”, em 1991, que lhe deu o Oscar de Melhor Realizador. Após Hannibal Lecter e Clarisse, Demme ainda conseguiu assinar outro blockbuster. “Philadelphia”, em 1993, trouxe o tema da descriminação dos doentes com SIDA para o cinema comercial e deu o Oscar de Melhor Ator a Tom Hanks.

A partir daí nada foi o mesmo. A carreira de Demme nunca se recompôs do fracasso de “Amada” (1998) – adaptação ao cinema da obra da Nobel da literatura Toni Morrison, com Oprah Winfrey e Danny Glover como protagonistas. Desde então tem-se dedicado sobretudo aos documentários. Só voltou às longas-metragens de ficção por três vezes e apenas conseguiu algum êxito com “O Candidato da Verdade”, em 2004.

Quanto a Stephen King, regressa às notícias após a recusa da Universal em avançar com a adaptação do projecto “The Dark Tower” devido ao elevado custo.

Entretanto, ontem, o realizador e o argumentista dos últimos “Harry Potter”, David Yates e Steve Kloves, mostraram interesse em avançar com a adaptação ao cinema de “The Stand”, conto pós-apocaliptico sobre dois grupos de sobreviventes após uma catástrofe biológica que dizimou quase toda a humanidade.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments