No dia 29 de setembro de 1908 falecia um dos maiores escritores brasileiros.

Jornalista, contista, cronista, romancista, poeta e teatrólogo, Machado de Assis deixou excelentes obras em diversas temáticas

Joaquim Maria Machado de Assis nasceu dia 21 de junho de 1839, no Rio de Janeiro, e era filho do operário Francisco José de Assis e de Maria Leopoldina Machado de Assis, que morreu quando ele ainda era jovem. Machado de Assis não tinha recursos para estudar em cursos regulares, mas já com 15 anos incompletos, ele publicou seu primeiro trabalho literário, o soneto “À Ilma. Sra. D.P.J.A.”, no Periódico dos Pobres, número datado de 3 de outubro de 1854.

Trabalhou como aprendiz de tipógrafo na Imprensa Nacional, onde teve a oportunidade de conhecer Manuel Antônio de Almeida. Aos 19 anos de idade, Machado de Assis se tornou colaborador e revisor do Jornal Marmota Fluminense. Nesse período conheceu outros grandes nomes da literatura, como José de Alencar, Gonçalves Dias, Manoel de Macedo e Manoel Antônio de Almeida.

Entre 1859 e 1860, Machado escreveu para importantes meios de comunicação da época, como A Semana Ilustrada e Jornal das Famílias. Em 1867, Machado de Assis publicou seu primeiro livro de poesias, intitulado “Crisálidas”

Machado conciliava a publicação de suas obras com a carreira no funcionalismo público. Em 1872, ele publicou o romance “Ressurreição” e em 74 “A mão e a luva”. Entre 1881 e 1897, o jornal Gazeta de Notícias abrigou grande parte daquelas que seriam consideradas suas melhores crônicas. Machado de Assis, junto com o amigo José Veríssimo, deu o pontapé inicial para a criação da Academia Brasileira de Letras e tornou-se o primeiro presidente da instituição.

O autor é um dos grandes nomes da literatura brasileira e se mantém há muitos anos na lista de obras obrigatórias dos principais vestibulares do país.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments