Publicado originalmente no Notícias R7

O Brasil recebe a partir desta segunda-feira (24) a primeira parte da biografia do fundador da Apple, Steve Jobs, que morreu no dia 5 de outubro.

A obra Steve Jobs por Walter Isaacson foi traduzida para 14 idiomas e tem lançamento em 18 países.

Estava previsto que a biografia de Steve Jobs fosse lançada no dia 21 de novembro, mas sua morte, em 5 de outubro, fez com que sua publicação fosse antecipada.

Walter Isaacson, ex-diretor da revista Time, escreveu no passado biografias de outros personagens famosos como a do físico alemão Albert Einstein, do ex-presidente americano Benjamin Franklin e do ex-secretário de Estado americano Henry Kissinger.

A obra é baseada em mais de quarenta entrevistas com Jobs ao longo de dois anos, além de relatos de mais de cem familiares, amigos, colegas, adversários e concorrentes. O livro narra a vida atribulada do empresário extremamente inventivo e de personalidade forte e polêmica, cuja paixão pela perfeição e cuja energia indomável revolucionaram seis grandes indústrias: a computação pessoal, o cinema de animação, a música, a telefonia celular, o mercado de tablets e de livros digitais.

Embora tenha cooperado com esta obra, Jobs não pediu nenhum tipo de controle sobre o conteúdo, nem mesmo o direito de lê-lo antes de ser publicado. Não estabeleceu nenhum limite: pelo contrário, incentivou seus conhecidos a falarem com franqueza.

O livro foi lido antes de seu lançamento por jornalistas do jornal The New York Times e do site The Huffington Post.

Veja algumas revelações presentes no livro:

Cirurgia contra o câncer

Steve Jobs se negou, em princípio, a se submeter a uma cirurgia para extirpar o câncer de pâncreas que acabou com sua vida. Ele optou por tratamentos alternativos e gastou fortunas com pesquisas médicas.

Segundo o biógrafo, Jobs confessou a ele que, no final, arrependeu-se da decisão de adiar a cirurgia. E recebeu tratamento contra o câncer em segredo, ao mesmo tempo em que dizia as pessoas que estava curado.

Casamento

Jobs chegou a propor casamento a Laurene Powell, uma corretora do banco Goldman Sachs, no Ano-Novo de 1990, mas não voltou a mencionar o pedido a ela durante meses.
Exasperada, Laurene mudou-se em setembro, mas voltou quando Jobs lhe presenteou com um anel de noivado, de diamantes.

Steve Jobs também contou a Isaacson, rindo, que teve de deixar fora do alcance de sua esposa liberal as facas de cozinha, quando convidou para jantar em sua casa Rupert Murdoch, o chefe conservador da News Corp.

Jobs grita com fundadores do Google

Jobs brigou muito e recebeu aos gritos, em 2008, os cofundadores da Google, Larry Page e Sergey Brin, por causa do sistema operacional e dos aplicativos Android que concorrem com o iPhone, da Apple.

Android é um sistema “roubado”, segundo ele

O site The Huffungton Post descreve que o livro tem trechos que mostram a fúria de Jobs contra o Android, sistema operacional do Google, considerado pelo fundador da Apple uma cópia de seus sistema.

– Estou disposto a seguir nesta guerra termonuclear. Eu vou gastar o meu último suspiro se eu precisar, e eu vou gastar cada centavo dos US$ 40 bilhões que a Apple tem no banco [...]. Vou destruir o Android, porque é um produto roubado.

Jobs também criticou o trabalho do Google, dizendo a Isaacson que “fora a busca, os produtos do Google – Android, Google Docs – são uma m…”.

Isaacson escreve que Jobs havia tentado convencer o Google a não desenvolver um sistema operacional móvel.

Tim Cook

O livro descreve que Jobs não concidou Tim Cook para o cargo de diretor de operações para a Apple. Jobs teria apenas avisado Cook de que ele havia sido escolhido.

A informação foi passada a Cook por um telefone dado por Jobs durante um voo ao Japão.

– Decidi fazer de você o diretor de operações.

Depois, contou ao biógrafo como foi a escolha.

– Eu sou um bom negociador. Mas ele provavelmente é melhor do que eu porque ele é um cliente legal.

Encontro com Bill Gates

Jobs começou a se encontrar, na última primavera, com as pessoas que queria ver antes de morrer. Entre elas estava seu eterno rival Bill Gates, cofundador da Microsoft, que o visitou em casa, em maio, e ficou mais de três horas.

Fundador da Apple oferece apoio a Obama

Jobs ofereceu ao presidente dos Estados Unidos Barack Obama, no ano passado, ajuda para a campanha política de 2012 após criticá-lo.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments