Publicado originalmente na Oficina de Livros

Enquanto todo mundo só fala em iPad, Kindle e dos livros digitais, os círculos geeks e verdes estão formando uma nova tendência: a “volta” das bibliotecas.
Há tempos insinua-se que as bibliotecas são mais “verdes” que as novas tecnologias de leitura, já que promovem o compartilhamento de recursos. Mas uma série de fatos, vídeos e artigos que surgiram nas últimas semanas em defesa das bibliotecas parece estar reavivando seu aspecto cool.

Segundo Linda Holmes, em um artigo publicado no portal da Rádio Pública Nacional dos Estados Unidos, as bibliotecas estão ressurgindo como uma nova mania da cultura popular.

Para ilustrar, ela cita um vídeo muito popular, criado por alunos da Universidade Brigham Young, parodiando anúncios do desodorante Old Spice, e que um aluno diz: “Se você parar de estudar em uma caverna e começar a estudar como eu, suas notas podem ser como as minhas. (…) Tudo é possível quando se está na biblioteca”; também evoca a recente polêmica acesa nos Estados Unidos por um artigo da Fox News (http://www.myfoxchicago.com/dpp/news/special_report/library-taxes-closed-20100628), que questiona se as bibliotecas eram suficientemente “necessárias” para que o governo lhes destinasse tantos recursos.

Outros pontos a favor das bibliotecas, segundo Holmes, apontando suas características intrínsecas, são seu espírito combativo, o fato de serem locais e “verdes”, de inspirarem nas pessoas um carinho especial, além de serem gratuitas e abertas ao público, oferecerem serviços como internet e permitir que as pessoas se relacionem em um espaço adequado.

Apesar de as bibliotecas serem amplamente utilizadas em vários setores da sociedade, estes fatos e a crescente tendência do mundo verde de resgatar elementos do passado (como citamos no artigo 7  Hábitos verdes de nossos avós que deveríamos retomar) parecem indicar que elas podem voltar com tudo em um futuro próximo.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments