Publicado originalmente no DGABC

Há 40 anos um grupo de artistas mineiros ficou com vontade de fazer desenhos animados. Mas era muito caro e complicado. A alternativa? Criar espetáculos de teatro de bonecos, afinal, parecem animação em tempo real. Assim nasceu o Giramundo, que rapidinho ganhou a admiração e o respeito do público.

Para comemorar o aniversário e realizar sonho antigo, acaba de chegar às prateleiras a coleção de livros Giramundo Reconta (Editora Autêntica). A primeira edição é composta por três histórias: o clássico Chapeuzinho Vermelho, o conto africano O Elefante Escravo do Coelho e o folclore A Mula Sem Cabeça.

O grupo teve a ajuda da escritora Sonia Junqueira para criar as versões. Os bonecos, feitos especialmente para as obras, foram fotografados. Deu uma trabalheira, segundo a diretora artística Beatriz Apocalypse. Foi preciso pesquisar muito antes de fabricá-los. Para fazer os personagens de A Mula Sem Cabeça, por exemplo, os artistas se inspiraram na cerâmica típica do Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais, de onde vem a versão do livro.

“A ideia é que cada reconto se transforme em espetáculo”, diz Beatriz, que é filha dos criadores do Giramundo e nasceu na mesma época em que os primeiros bonecos. “Conhecer a história de todos é muito gostoso.”
O novo espetáculo em produção é a adaptação de Alice no País das Maravilhas. A direção musical é do John Ulhoa, do Pato Fu. Deve chegar aos palcos em março de 2013

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments