Publicado originalmente no F5

Não é de agora que o “Programa do Jô” (Rede Globo) tem entrevistado escritores que lá se apresentam para lançar os seus mais recentes livros. E são trabalhos bastante diversos, que por vezes têm até uma forte relação entre si.

Outra noite, foram convidados do programa os psicanalistas Paulo Sergio Rosa Guedes e Júlio César Walz. Eles estavam lançando “O Sentimento de Culpa” (Editora do Autor). O tema por si só já é interessante. Quem nunca se sentiu culpado?!

Que o ‘sentimento de culpa’ não serve para nada e que destrói muitas vidas se não for trabalhado ou resolvido de alguma forma satisfatória, todos sabemos. Mas que ele é “sem dúvida, um sentimento delirante de grandeza”, como afirmaram convictos os doutores, para mim foi surpresa.

“Nosso grande problema é justamente o não saber como se criam as coisas, as dificuldades, os prazeres, enfim as vicissitudes de nossa vida”, afirma Walz. “Mas precisamos saber que elas fazem parte de nós, são essenciais em nossa vida.Como é muito difícil aceitar e conviver com esse fato, tentamos substituí-los por culpados, responsáveis”. Concluindo, o psicanalista enfatiza: “daí a vida sem sentido, daí o sentimento de estar apenas passando o tempo ao invés de aproveitá-lo, aí o denominado “sentimento de culpa”. Mas bah! Isso é assunto pra mais de metro, diria um primo gaudério.

Inteligentes, bem falantes e, aparentemente, muito bem intencionados, os autores de “O Sentimento de Culpa” deixaram um gostinho de ‘quero mais’ na sua curta entrevista no “Programa do Jô”. Já é sem dúvida uma das minhas próximas leituras. Se não ler este livro vou me sentir culpado!

Da culpa para a superação, outro livro lançado no Jô essa semana foi “O Poeta e o Passarinho” (Editora Biruta). Uma grande lição de vida do jornalista Ricardo Viveiros, que de uma tragédia pessoal –perdeu dois entes muito queridos em acidente de carro, conseguiu transformar sua dor em poesia e solidariedade. “O Poeta e o Passarinho” tem ilustrações do artista plástico Rubens Matuck e é a primeira obra de Viveiros dedicada ao público infanto-juvenil.

Embora tenha se mantido sereno ao relatar o drama pelo qual passou há quinze anos, Ricardo ao mesmo tempo parecia estar revivendo o enorme sofrimento. “Perdi um filho com 26 anos, lindo…”, foi como iniciou o seu depoimento. Comovente é pouco. Avassalador. Lembrei de minha mãe que me dizia sempre: “Perder um filho é a dor mais doída. Deus não vai fazer isso comigo!”. Não fez. Ela se foi primeiro que os filhos como planejara. Mas antes, bastava pegar uma gripe forte e ‘morria de medo de morrer’, para não dar esse desgosto para a minha mãe. Não suportaria a culpa!

“Sentimento delirante de grandeza”? Preciso ler “O Sentimento de Culpa” urgentemente.
Culpa, superação –autoestima! “Não Comi, Não Rezei, Mas Me Amei” (Matrix) foi o livro lançado também no “Programa do Jô” pela coordenadora dos “Vigilantes da Autoestima”, Gisela Rao.

Muito descontraída, divertida e sem papas na língua, Gisela foi uma das poucas convidadas do programa que conseguiu falar mais que o Jô! Contou histórias do arco da velha, cheias de humor e malícia. Ainda soltou pérolas, como: “engordar é a arte do inferno, e a celulite é feita pelo tridente do capeta!”. Falando em ‘engordar’, Zeca Camargo e Renata Ceribelli também lançaram nesta quarta-feira em São Paulo o livro “Medida Certa –Como Chegamos Lá” (Ed. Globo). A ideia é: se eles puderam, você também pode!

Segundo Gisela Rao, seu blog dos ‘vigilantes’ já tem mais de dois milhões de acessos e, para participar dos debates são vetados três itens básicos: autodepreciação, lista de desgraças e complexo de vítima! Culpa então, nem pensar!

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments