Publicado originalmente no Jornal do Brasil

O cientista da computação Silvio Meira, afirmou na Acadêmia Brasileira de Letras que o livro impresso vai desaparecer em até 15 anos. Tudo se deve ao crescimento do mercado de e-books e da baixa dos preço dos tablets que estão cada vez mais baratos. A previsão polêmica do cientista que é especialista em tecnologia da informação e estudioso da área, deixou a platéia assustada na Academia durante o Seminário “O futuro do livro: papel ou chip?”.

Silvio afirmou que “Não há o que temer. Não há como o livro escapar a esta transformação, que se impõe como inevitável no mundo inteiro”, ao defender o formato digital. Segundo o especialistas, o livro digital vai massacrar o impresso. “Em apenas dois anos, os EUA tiveram um aumento de nove milhões de e-books vendidos em 2009 para 112 milhões em 2011. A participação das vendas de livros digitais no Brasil hoje é de 1,5%. No próximo ano o percentual deve chegar pelo menos a 5%”, apontou Carlos Eduardo Ernanny, proprietário da editora Gato Sabido.

Silvio Meira apontou para a necessidade de se criar livros eletrônicos sem a linearidade dos livros impressos. “No computador, eu tenho que poder ler os fascículos separadamente. Não podemos ser obrigados a manter a mesma linearidade dos livros impressos. Ainda há muito o que ser aperfeiçoado, mas a transformação é inevitável. Uma outras questão que merece destaque é a de que resumos de livros muito longos podem vender mais do que os próprios livros, com o repasse de uma participação para os autores dos livros”, sugeriu o cientista.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments