Publicado no Terra

Uma editora judaica americana acaba de lançar um inovador “índice alfabético exaustivo” para acessar o Talmud, um dos livros sagrados do judaísmo, que recompila discussões rabínicas sobre as leis, tradições, costumes, lendas e histórias da religião.

A “HaMafteach” (“A Chave”) ou “Guia de referências catalogadas do Talmud da Babilônia” é anunciada como um “feito literário notável” no site na internet da editora encarregada de sua publicação, Feldheim Publishers, com sede em Nova York e Jerusalém.

Lançado em duas edições diferentes em inglês e hebraico, o livro tem como objetivo simplificar a busca de fontes no Talmud, uma obra de vários volumes considerada a tradição oral do judaísmo, enquanto a Torá é a tradição escrita.

“É chamado o ”Mar do Talmud” por boas razões. Tantos volumes, tantos temas, tantos ditos dos Sábios, intercâmbios e expressões. Mas aqui está uma ferramenta que permitirá navegar de alto a baixo o Talmud e localizar com facilidade fontes específicas”, garante a Feldheim Publishers.

O índice tem 6.600 entradas alfabéticas principais, 27.000 subentradas e 42.000 referências de fontes talmúdicas.

Para surpresa de muitos, o autor da “HaMafteach” não é um rabino, mas um advogado de origem judaica que mora desde criança em Nova York, aonde chegou com os pais, sobreviventes do Holocausto.

Nos Estados Unidos moram quase tantos judeus quanto em Israel, cerca de 5,5 milhões, segundo números dos governos americano e israelense.

Daniel Retter, de 66 anos, queria “permitir aos estudiosos do Talmud encontrar conteúdo temático significativo, leis, anedotas, máximas, parábolas, ditos, interpretações bíblicas, personalidades bíblicas e talmúdicas e comentários dos Sábios”.

No site do livro na internet (http://www.hamafteach.org), Retter inclui reproduções de várias cartas de aprovação e cumprimentos por sua obra que recebeu de rabinos dos Estados Unidos e de Israel.

Na hora de explicar a razão pela qual fez este esforço colossal que exigiu sete anos de trabalho, o advogado especializado em imigração afirmou ao jornal The New York Times que “não conseguia entender como o Talmud não tinha um índice”.

Embora existam alguns índices em sites na internet, de universidades por exemplo, a maioria não é de fácil acesso ou é muito cara. O “HaMafteach” está à venda por US$ 30 em sua versão em inglês e US$ 25, em hebraico.

Existem duas versões do Talmud: o de Jerusalém (Talmud Yerushalmi) e o da Babilônia (Talmud Bavli), ambos redigidos por volta do século V da nossa era. As primeiras edições impressas da obra surgiram no século XVI, na Europa.

O Talmud foi traduzido em sua totalidade para vários idiomas.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments