Publicado originalmente no IG

Ano terá obra de James Joyce em domínio público, textos inéditos de Nelson Rodrigues e homenagem a Carlos Drummond de Andrade

James Joyce: obra em domínio público em 2012

Jorge Amado e Nelson Rodrigues fariam 100 anos em 2012. Carlos Drummond de Andrade, 110. James Joyce, 130 – mas nesse caso, mais importante que a data do aniversário é que 2012 representa o primeiro ano desde a entrada de sua obra em domínio público. Ou seja, qualquer editora interessada nos livros do irlandês poderá ter sua própria edição sem passar pelo crivo, ou pelas garras, da família do escritor a partir do ano novo. Essas datas redondas são sempre um bom motivo para as editoras reavivarem a obra de seus autores, e os leitores podem esperar novidades para o ano que vem.

De Joyce, o selo Penguin-Companhia das Letras lança, em abril, uma nova tradução de “Ulisses” feita por Caetano Galindo. Já a Iluminuras publica o infantil “O Gato e O Diabo”, com tradução da pesquisadora e escritora Dirce Waltrick do Amarante, e “De Santos e Sábios”, seleção de escritos estéticos e políticos organizados por Sérgio Medeiros e por Dirce. Mais misteriosa é a programação de lançamentos da Nova Fronteira, que edita Nelson Rodrigues. Ela garante que publicará textos inéditos do autor, releituras de suas peças e edições populares, mas não dá detalhes.

Drummond ressurge nas livrarias com nova roupagem também pela Companhia das Letras, que ganhou, em 2011, o direito de publicar toda a obra do poeta mineiro. “A Rosa do Povo”, o primeiro, chega em março, em tempo da homenagem da 10ª Festa Literária Internacional de Paraty, marcada para julho. Ainda em 2012, outros três serão lançados.

Quando a obra de um autor muda de editora é natural que ela ganhe revisão e novo projeto gráfico. É isso o que também vai acontecer com Mario Quintana, antes no catálogo da Globo e agora no da Alfaguara. Os primeiros cinco títulos, entre os quais uma coletânea inédita, serão publicados no segundo semestre. Vale também para a obra de Pedro Nava, em novas edições da Companhia das Letras a partir de fevereiro. E para Cecília Meireles (38 livros em 40 meses), se nada mais der errado entre seus herdeiros, Manuel Bandeira (23 reedições e 13 inéditos) e Orígenes Lessa (34 antigos e 7 novos), todos agora no catálogo da Global.

Os 90 anos da Semana de Arte Moderna também serão lembrados em livro. Um deles será “1922, a Semana”, do jornalista Marcos Augusto Gonçalves, que sai pela Companhia das Letras.

Mas nem só de datas comemorativas e reedições vive o mercado editorial brasileiro – que, a propósito, está deixando passar o bicentenário de Charles Dickens. Em 2012, serão lançados livros para todos os gostos e se a produção continuar em crescimento, como nos últimos anos, de acordo com pesquisa feita pela Fipe, os leitores podem esperar pelo menos 18 mil novos títulos (e 36 mil reedições) no Brasil. Isso sem contar os e-books.

Para quem gosta de biografia e livros de memória, a dica é preparar o bolso, já que o gênero é um dos mais frequentes nas listas das editoras. A L&PM prepara dois títulos sobre Andy Warhol – uma biografia escrita por Mériam Korichi e o diário do artista, que será dividido em dois volumes e editados no formato bolso. A Ediouro lança “American Rebel”, a história de Clint Eastwood contada por Marc Eliot. Já a vida de Norman Bengell será resgatada pelo historiador Davi Araújo para a Nversos.

Pela LeYa, sai a edição revista e ampliada de “Furacão Elis”, lançada pela jornalista Regina Echeverria em 1985. A Globo publica as biografias de Neil Young e Rod Stewart escritas pelos próprios músicos. “A Balada de Bob Dylan”, de Daniel Mark Epstein, sai pela Zahar. O gênero também é uma das apostas da Lafonte/Larousse para o ano. Ela manda para as livrarias biografias ilustradas de Pink Floyd e de Elvis Prestley, por Marie Clayton; de Led Zeppelin e Eric Clapton, por Chris Welsh; de Keith Richards, escrita por Victor Bockris; dos Beatles, por Terry Burrows; e do Nirvana, por Gillian Gaar. Um livro sobre os 40 anos do Queen também está nos planos. A Melhoramentos vai editar um livro de Paul McCartney, mas sem relação com sua história ou com música. Sem título definido, tratará sobre culinária vegetariana.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments