Karl Marx, Adolf Hitler, John Kennedy e os reis Henrique VIII e Francisco I têm suas histórias de poder revisitadas pelas biografias de suas esposas e amantes, aquecendo curiosidades e o mercado editorial

Publicado no O Povo Online

 O livro sobre Jacqueline Kennedy não traz muitas revelações sobre o seu casamento com o ex-presidente americano John Kennedy (DIVULGAÇÃO)

O livro sobre Jacqueline Kennedy não traz muitas revelações sobre o seu casamento com o ex-presidente americano John Kennedy (DIVULGAÇÃO)

 

Há uma nova moda no mercado editorial americano: biografias de mulheres de personagens históricos.

 

Só nos últimos quatro meses, foram lançadas obras sobre Jenny Marx (mulher de Karl Marx), Eva Braun (Adolf Hitler), Jacqueline Kennedy (John Kennedy) e Maria Bolena, que conseguiu a proeza de ser amante tanto do rei Henrique 8º, da Inglaterra, quanto do rei Francisco 1º, da França.

 

“É uma moda recente. Talvez tenha acontecido um esgotamento das grandes biografias e decidiu-se partir para as mulheres”, diz Otávio Costa, editor-assistente da Companhia das Letras.

 

Ele cuidou da publicação de Eva Braun – A Vida com Hitler no Brasil. O livro, uma tradução do alemão, saiu antes por aqui do que nos EUA. É a única das obras citadas acima que já foi publicada no País.

 

As autoras dos livros sobre Jenny, Eva e Maria Bolena deram o mesmo argumento para a reportagem em defesa da importância histórica dos seus trabalhos: só é possível conhecer de fato a personalidade desses personagens históricos entendendo como eles tratavam as suas mulheres, dizem.

 

Hitler paquerador

A historiadora alemã Heike Görtemaker, por exemplo, narra um Hitler paquerador ao conhecer a garota loira de 17 anos que trabalhava no estúdio onde ele se deixava fotografar.

Líder de um partido em ascensão, ele visitava o local para convidá-la para passeios de Mercedes e para reclamar que vivia cercado demais por homens. Eles começaram um romance, e Hitler enrolou Braun por 16 anos. Dizia não poder se casar por ter já ser casado “com o povo alemão” e mantinha o relacionamento em segredo.

 

Por outro lado, Braun se sentia livre o suficiente para dar broncas em Hitler por atrasos e para pedir a ele que ficasse quieto quando a conversa estava incomodando.

 

Karl Marx também levou anos para se casar, mas por outro motivo.

 

O pai de Jenny, moça bonita de família aristocrática, achava que o rapaz não tinha condições financeiras de dar uma vida confortável para ela.

 

E não tinha mesmo. Depois de ter um relacionamento secreto por sete anos com Jenny, eles finalmente conseguiram se casar. Ela trocou o conforto de uma família de elite por uma vida pobre com Karl.

 

O episódio mais notável de “luta de classes” na vida de Marx ocorreu quando ele engravidou a empregada –e não assumiu o filho bastardo.

 

Já o livro sobre Jacqueline Kennedy não traz muitas revelações sobre o seu relacionamento com o marido, notório mulherengo.

 

Brasileiras

No Brasil, existem poucas obras sobre a vida amorosa e sexual de grandes personagens históricos. Algumas figuras, como a marquesa de Santos, amante de Dom Pedro 1º, já inspiraram livros, mas os best-sellers recentes sobre história (como os livros de Laurentino Gomes, ou Leandro Narloch) não se concentram nesse aspecto. (Ricardo Mioto, da Folhapress)

 

SERVIÇO

 

Love and Capital

Autora: Mary Gabriel

Editora: Little, Brown & Company

Preço: US$ 16,99 (e-book)

 

Eva Braun: a vida com Hitler

Autora: Heike Görtemaker

Tradução: Luiz de Araújo

Editora: Companhia das Letras

Preço: R$ 51

 

Jacqueline Kennedy: Historic Conversations on Life with John F. Kennedy

Autores: Caroline Kennedy e Michael Beschloss

Editora: Hyperion

Preço: US$ 11,90 (e-book)

Mary Boleyn

Autora: Alison Weir

Editora: Ballantine Books

Preço: US$ 14,59

 

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments