Publicado originalmente no Globo.com

Meio-campo da Seleção Brasileira vai da religião ao futebol, passando por educação, para listar as publicações que mais o encantaram

Hernanes não ganhou à toa o apelido': a leitura faz bem ao vocabulário (Foto: agência Getty Images)

Hernanes não ganhou o apelido de “Profeta” à toa. Seja no Brasil ou na Itália, o meio-campo da Seleção Brasileira é daqueles que fogem do comum em entrevistas. Respostas prontas não são do seu feitio. E declarações mais aprofundadas, sempre com frases de efeito, viraram marca do jogador, que foi apelidado por isso ainda nos tempos de São Paulo. O vocabulário extenso vem de um hobby incomum entre os companheiros de profissão: a leitura. Sendo assim, o GLOBOESPORTE.COM foi até Roma e pediu que o camisa 8 do Lazio apontasse os cinco livros que mais o marcaram.

Na lista, a variedade de temas impressiona. Desde religião, com a “Bíblia”, passando por educação, futebol e até lógica. Confira abaixo as escolhas de Hernanes e descubra de onde vem a inspiração do “Profeta”.

“Bíblia” – “É o livro que eu leio praticamente todos os dias. Foi onde encontrei promessas e pedras preciosas que guardo e luto para que se tornem realidade.”

“Curso de estudo da fé” (Kenneth Regan) – “É um livro sobre a fé. O Kenneth Regan é um americano que escreveu como se fosse um curso da fé. Fala sobre a Bíblia também, e isso me ajudou muito.”

“Lógica e metafísica” (Rotilde) – “Foi o livro que me fez entender muitas coisas. O cientista fala que usa métodos científicos para fazer agir, que usa a razão. Aí, vem o religioso e diz que é preciso usar a fé, não a razão. Esse livro me fez entender que tanto cientistas quanto religiosos estão usando as palavras erradas. Nós aprendemos as coisas de uma única maneira, e não é método científico, é o método como a criança aprende. Como é: observamos alguma coisa quando criança, nem sabemos o que é, e colocamos na boca, testando aquela hipótese criada como se fosse de comer. Até que chegamos à conclusão de que não é de comer e cuspimos. Ou seja, não é nada científico. Esse livro me ensinou. Para entendermos seja a “Bíblia” ou qualquer outro livro, não devemos usar a ciência, mas esse processo.”

“The five love languages” – “Fala sobre como educar os filhos. É incrível. Mudou muito minha consciência sobre como educar meus filhos.”

“Futebol completo” (J. Alves) – “Esse livro o cara não consegue dar conta de ler sozinho, não (risos). Li com o autor, que é meu amigo, me explicando, e eu coloco nessa lista. Ele (o autor) foi atrás de muitas questões sobre o futebol. Por exemplo, tática. A tática nada tem a ver com a disposição estratégica dos homens em campo, o 3-5-2, o 4-4-2. A tática é uma maneira de aprender que vem de tatear. Ele usa os termos dos quais foi atrás e descobriu não os termos usuais do futebol. Por isso, é difícil de entender. Outro exemplo é o drible, que não tem nada a ver com o que achamos. Drible quer dizer quebrar sucessão. Então, tudo o que fazemos é um drible. A vida é um drible.”

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments