Victor Vasques no Tech Tudo

Lançado no início do ano, o Cowbird é uma rede social para quem gosta de contar e ler histórias. O site possibilita um ou mais autores contarem histórias a partir de imagens, tornando um grande coletivo cultural.

Cowbird, a nova rede social de contador de histórias (Foto: Reprodução/Cobird)Cowbird, a nova rede social de contador de histórias (Foto: Reprodução/Cowbird)

Criado pelo americano Jonathan Harris, o Cowbird é definido pelo seu criador como uma biblioteca pública da experiência humana. Além de histórias pessoais, Harris afirma que a rede já começa a experimentar novas formas do jornalismo participativo. Prova disso foram as séries de histórias, chamadas pelo site de “Saga”, sobre o movimento “Occupy”.

Apesar da predominância americana no site – atualmente são mais de 3 mil histórias vindas dos EUA, seguida por apenas 500 do segundo colocado, o Reino Unido – a ideia é expandir a rede para diversos países, a fim de fomentar o jornalismo participativo que darão uma nova perspectiva de acontecimentos como terremoto no Japão ou a guerra do Iraque.

Incentivar o jornalismo participativo (Foto: Reprodução)

Já do ponto de vista cultural, o Cowbird é uma ótima ferramenta para a divulgação e garimpagem de novos autores. No Brasil, a rede pode ter um mercado promissor. Segundo uma pesquisa da Câmara Brasileira do Livro (CBL), o brasileiro está lendo mais devido a baixa nos preços dos livros. Ainda segundo o estudo, só em 2010 as vendas cresceram 13,12%.

De acordo com a pesquisa “Retratos da leitura no Brasil – Edição 2” (divulgada em 2008 e com previsão para ganhar atualização ainda este mês), 42% dos brasileiro vê a leitura como uma fonte de conhecimento para a vida. Ainda segundo o estudo, ler ocupa o quinto lugar no ranking das coisas que o brasileiro mais gosta de fazer em seu tempo livre.

Se unirmos este crescimento dos livros à vertiginosa ascensão das redes sociais que, segundo a comScore, em 2011 fez os brasileiros ficarem quase 5 horas conectado ao Facebook, Orkut ou Twitter, até podemos dizer que o Cowbird tem um grande campo a explorar em terras tupiniquins. Resta saber se a rede – ainda em formato beta – terá interesse em desbravar o Brasil ou será necessário o brasileiro invadir o Cowbird, assim como fez com o Twitter.

Acesse o Cowbird e descubra mais sobre esta rede social cheia de histórias.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments