Publicado no jornal O Dia

Classificar por temas é um dos métodos para por fim à bagunça

Quem gosta de ler e não abre mão do papel, sempre encontra grande dificuldade para organizar os livros de forma a encontrá-los mais facilmente no futuro. O ponto fundamental para acabar com essa angústia é estabelecer uma lógica prática e funcional: ordem alfabética, editora, temas ou qualquer outra classificação que lhe faça sentido. O ideal é escolher aquela que não exija muito esforço para que você encontre os livros.

Livros tiveram a capa virada para frente com o objetivo de garantir efeito estético | Foto: Divulgação

Segundo especialistas, um dos métodos mais eficazes é usar a classificação por grandes temas como música, gastronomia, autores nacionais ou internacionais. Algumas pessoas, no entanto, têm bibliotecas com muitos exemplares pertencentes a um único assunto e, nestas situações, a alternativa é segmentar em grupos menores relacionados ao tema principal.
Outra possibilidade para organizar a estante é agrupar segundo o nome das coleções ou mesmo por ordem alfabética. “Este último modelo deve ser analisado com cuidado, já que a bagunça voltará caso muitas pessoas tenham acesso aos exemplares”, lembra a home organizer Ingrid Lisboa.
A dificuldade na arrumação também pode aparecer quando os títulos forem variados. Para resolver o problema, nada melhor do que classificar por obras literárias ou não.

“Há diversas maneiras de organizar uma biblioteca pessoal. O que vai direcionar o trabalho é pensar em como os livros são procurados no dia a dia”, diz Verônica Cavalcanti, personal organizer e consultora do Senac Rio. “A organização não ficará 100% bonita, mas deverá ser harmoniosa”, ressalta.


Ao posicionar as obras, o grau de relevância também deve ser analisado para que os locais mais visíveis recebam as de maior uso. Por isso, o indicado é escolher um móvel que permita boa visualização.
“Gavetas não são interessantes para esta finalidade porque ficam pesadas e ‘escondem’ os livros; já nos armários existe a dificuldade do acesso restrito. Isso faz que as prateleiras sejam opções valiosas”, afirma.
Caso a quantidade de livros seja maior do que as prateleiras existentes, apele para os espaços vazios. Olhe em volta e veja se não é possível criar pequenas bibliotecas debaixo do criado-mudo, em gavetões instalados debaixo da cama ou ainda em prateleiras especialmente criadas para esse fim nos cantos das paredes ou na altura da porta, ao longo de todo o corredor.
Antes de começar os trabalhos, entretanto, algumas providências devem ser tomadas. “O local que receberá os livros deve estar limpo e disponível” diz Ingrid. Por isso, é importante descartar ou entregar para a doação os exemplares desatualizados ou que não despertarem mais interesse.
Estética
Quando a prioridade da arrumação for conseguir um efeito visual bonito, a classificação deverá partir de outras premissas como tamanho, cor e espessura dos exemplares.
Para as especialistas, distribuir os livros do maior para o menor começando pela direita resultará em um efeito degradê interessante. Além disso, as cores das lombadas também podem ajudar na decoração do ambiente.

 

No caso de livros mais grossos, posicioná-los na horizontal sobre uma mesa de centro ou no meio da estante pode contribuir para a decoração. “Mas, para não afetar a estrutura do móvel ou a beleza da arrumação, é importante lembrar que o limite da pilha deitada será a altura dos livros na vertical”, afirma Ingrid.

Reportagem de Bruna Bessi, do iG

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments