Publicado originalmente no Diário de São Paulo

Leandro Giroldo escreve para manter a mente saudável; paralisia cerebral o obriga a usar apenas um dedo

A imaginação fértil e a vontade de manter a mente saudável são as explicações de Leandro Giroldo, 38 anos, para a força que o faz superar as dificuldades e escrever, no Twitter e no Facebook, histórias de ficção científica, com personagens mutantes, cibernéticos e com aspecto de animais.

Leandro sofreu paralisia cerebral ao nascer, o que teve como consequências as deficiências físicas com que precisa lidar desde a infância.

Ele não anda, precisa de uma cadeira de rodas e tem problemas na coordenação motora. “Escrevo devagar, com apenas um dedo”, conta.

Na escola, que frequentou até a oitava série, contava com o auxílio dos amigos, que empurravam a cadeira de rodas, copiavam lições e emprestavam cadernos para ele estudar. Em casa, o pai e uma irmã ajudam no dia a dia.

Leandro conseguia andar quando era pequeno, mas, aos 10 anos, perdeu totalmente a força nas pernas e foi para a cadeira de rodas.
“Aí, tive que usar a imaginação. Foi o meio que encontrei para manter uma vida normal”, afirma.

As histórias cibernéticas começaram a ser criadas quando tinha 22 anos.

Os textos podem ser lidos no perfil dele no Twitter (@Le_Giroldo). No Facebook, ele divulga os capítulos para quem quiser acompanhar.
Na infância, quando tinha mais movimentos, Leandro conseguia desenhar brinquedos com perfeição. Hoje não consegue mais, então suas histórias só possuem textos.

Ele mandou e-mails para editoras na tentativa de publicar um livro ou revista em forma de quadrinhos, mas não obteve respostas. Por isso, achou que as redes sociais eram ideais para divulgar o trabalho.

O escritor lembra que um professor o estimulou a escrever, ainda na infância. “Ele disse que eu levava jeito”, recorda.

Rotina
Por causa das dificuldades físicas, Leandro cria as histórias de manhã e reserva o período da tarde para publicá-las no Twitter. Precisa de tempo para alimentar a rede social, onde tem 262 seguidores.

Ele já fez fisioterapia e tratamento com botox para tentar recuperar alguns movimentos, mas conta que foram períodos de sofrimento.

Costuma brincar com quem o conhece dizendo que as limitações físicas existem, sim, mas a cabeça funciona perfeitamente – com direito a lances de criatividade e estratégias para manter a atenção do público.

Leandro costuma fazer suspense entre um minicapítulo e outro. Para ninguém perder os próximos passos de seus heróis mutantes, prontos a derrotar os monstros. Da imaginação fértil direto para o Twitter.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments