Publicado por iGirl

Autora teen de “Elfos Urbanos” nega ser nerd e revela a vontade de estudar Direito

Foto: Divulgação / Eduarda Kiame tem 16 anos e acaba de lançar seu segundo livro: "Elfos Urbanos - A Traição"

As prateleiras de livros infanto-juvenis ganharam mais um título nesse mês: “Elfos Urbanos – A Traição”, da escritora curitibana Eduarda Kiame, de apenas 16 anos. Este é o segundo volume de uma trilogia que se iniciou com “Elfos Urbanos – A Escolha”, publicado em 2010 pela Editora Íthala. No final do primeiro livro, a protagonista meio-elfa meio-humana Anna Maria Bittencourt é forçada a fazer uma escolha de vida ou morte, cujas consequências podem ser lidas no novo título.

Bastante influenciada por J. R. R. Tolkien, autor de “O Senhor dos Aneis”, a jovem explicou o título da sua saga em entrevista ao iGirl: “Gosto muito de elfos, mas nunca tinha visto histórias em que eles apareciam nas cidades. Achei que seria uma possibilidade bacana porque na imaginação você pode fazer o que quiser”.

Foto: Divulgação / "Elfos Urbanos - A Traição" chega às livrarias pela editora Íthala

Ela aponta Christopher Paolini, da saga “Eragon”, Carlos Ruiz Zafon, de “A Sombra do Vento” e o brasileiro Rafael Draco como influências. “São escritores pelos quais eu me apaixonei recentemente. Mas o Tolkien é o mais importante de todos, porque foi ele quem me introduziu no mundo da ficção.”

Eduarda ainda falou sobre como surgiu a ideia de escrever: “O pontapé que eu tive para escrever foi numa aula de português na quinta série. Fiz um poema e todo mundo me aplaudiu. Achei que podia ser boa nisso.”

Aulas e amigos

Em uma das cenas de “A Escolha”, Anna Maria é expulsa da sala de aula por sua desatenção. “Eu sou uma boa aluna, mas viajo muito nas aulas. Essa característica minha eu coloquei na Anna Maria, assim como o fato de ser curiosa e teimosa. Mas nós duas somos pessoas diferentes”, contou Eduarda. A escritora precoce também comentou a repercussão de seus livros na escola.

“Meus amigos acham o máximo. Eles fazem propaganda dos livros, alguns até mesmo sem ter lido. Já os professores me tratam normalmente. Eles fazem piadas, como ‘ah, foi a escritora da sala que perguntou isso’, mas eu não tenho nenhum tratamento especial. Sou só mais uma aluna”.

Ao contrário do que pode se pensar, ela nega o estereótipo que poderia ter de nerd. “Sou uma pessoa comum. Gosto de ler, saio muito com os meus amigos, fico na internet. As pessoas acham que eu fico em casa trancada escrevendo, mas não sou assim.”

Foto: Divugação / Eduarda começou a escrever na 5ª série depois de ser elogiada por um poema

 

Futura advogada

Eduarda, atualmente no 3º ano do Ensino Médio, pretende fazer Direito, mas para passar no vestibular vai dar uma pausa com os livros. “Vou esperar um pouco para escrever o terceiro livro. Tenho medo de perder as ideias que eu tenho, mas guardo tudo no computador”.

A escritora também tem planos para o futuro, e revelou que seu maior sonho é “terminar a trilogia. Quero continuar escrevendo pra sempre, e continuar publicando. Tenho certeza que o meu laço com a literatura é para sempre”.

 

 

 

 

 

dica do Jarbas Aragão

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments