Publicado por O Globo

Criada por jornalista, trama ao estilo 007 será lançada em site e jornais europeus

Roberto Medina vira personagem de quadrinhos / DIVULGAÇÃO

RIO – Deste sábado em diante, o site brasileiro do Rock in Rio vai sediar uma experiência narrativa em forma de história em quadrinhos que faz da maratona musical criada pelo empresário Roberto Medina palco para uma trama no estilo 007. “Rock Rivers” é o nome da HQ criada pelos espanhóis Carles Santamaría (roteiro) e Pere Pérez (desenhos), que será publicada na internet no Brasil ao mesmo tempo em que estreia em dois jornais europeus: o espanhol “El País” e o português “Diário de Notícias”. O próprio Medina é personagem nas aventuras do agente Rock Rivers para deter o vilão metaleiro Hellvansinger.

— A ideia é criar um quadrinho semanal, ao longo de 14 semanas, baseado em toda a documentação visual que foi reunida sobre a evolução do Rock in Rio. Haverá até uma cantora brasileira, Ina, que esconde segredos — diz Santamaría, um jornalista de 49 anos que há quase três décadas trabalha com HQs.

Organizador do Salón del Cómic de Barcelona, evento que mobiliza cerca de cem mil leitores de quadrinhos por ano, Santamaría idealizou o projeto a convite de Medina.

— Desde sua gênese, o Rock in Rio sempre tentou ser mais do que um evento de música e virar um projeto de comunicação, que combinasse várias áreas. Temos para novembro um espetáculo musical para estrear no Rio com direção de João Fonseca e estamos com um projeto de ficção para o cinema. Faltava o quadrinho. E, de vez em quando, eu vou aparecer na trama dando informações sobre os shows aos personagens — explica Medina, que vai projetar uma versão holográfica de Hellvansinger, cantando seu repertório próprio, durante a quinta edição carioca do Rock In Rio, em setembro de 2013.

Na Espanha e em Portugal, a publicação de “Rock Rivers” vai coincidir com a nova edição do Rock in Rio Lisboa (de 25 de maio a 3 de junho) e do Rock in Rio Madri (29 de junho a 7 de julho) A trama começa nos EUA e se desenrola em solo ibérico.

— Ina e Medina serão a ponte com o Brasil na HQ — diz Santamaría, que coordena ainda um evento anual na Espanha dedicado aos mangás, os quadrinhos japoneses.

Elogios à HQ nacional

Entusiasta do trabalho de Maurício de Sousa e sua “Turma da Mônica”, Santamaría destaca a diversidade dos quadrinhos brasileiros:

— Maurício de Sousa conseguir ir além de seu universo infantil ao introduzir referências à cultura japonesa em seu “Mônica Jovem”. Mas além dele o Brasil tem bons desenhistas, como Ivan Reis, que fazem carreira nas maiores editoras dos EUA. (Rodrigo Fonseca)

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments