Isabela Daguer no Mundo Ela

Vou contar pra vocês a história da Liza – ansiosa, medrosa e nova demais para sofrer de stress. A Liza sempre quis morar do outro lado do mundo, e viver de escrever livros. Mas encontrou o amor onde está, e o sonho de morar em outro lugar deu espaço ao sonho de construir uma casa com a cara do casal, com quartos suficientes para dois filhos e cinco cachorros. Mas a outra parte do sonho adormeceu com certa tristeza – talvez pela cabeça produzir muito mais do que os dedos são capazes de escrever e o medo de não conseguir dominar a vontade de fazer acontecer.
Não estou defendendo a Liza, mas julgar também é demais. É fácil acordar as cinco da madrugada, no meio de uma insônia brava, e escrever palavras de motivação. Quero ver quantas pessoas realmente se sentirão motivadas – eu mesma não me sinto. Mas quero ver alguém passar por coisas que a Liza passa e não criar coragem de seguir em frente, por um caminho diferente.
Foi assim: semana passada a Liza foi ao lançamento de um livro. Até então, ela achava que não dava pra viver do sonho. Lá ela ficou a maior parte do tempo meio escondida, chorando e rindo, feito criança em loja de brinquedos. E viu que dá. Que o caminho pode ser longo, que o reconhecimento não é repentino, mas que se essa é a maior vontade, dá. Até hoje ela está um pouco aérea, e me contou que anda meio perdida, sem saber por onde começar – mas sabe que vai começar de algum lugar. Mesmo que seja do meio do primeiro livro.
O que quero mostrar é que, quantas vezes, em troca de um pouco mais de segurança, a gente finge que alguns sonhos não existem? Um emprego mais ou menos, uma cidade mais ou menos, um rotina pesadíssima em troca de alguns mil na conta corrente, no dia primeiro de todo mês, um carro importado, roupas novas…e na essência? é tudo tão bonito quanto a aparência mostra ser? o coração bate mais forte pelo amor, mas fica infeliz durante oito horas, todos os dias. Já, já ele explode, pede mudanças urgentes. Ai a gente se inventa, reinventa, vira do avesso, emagrece, engorda, se realiza, e…tudo desaba de novo. Se levanta, e recomeça.
O tal do recomeçar é crítico, mas nos abre um tanto de possibilidades que andam de mãos dadas com o crescimento pessoal. Isso, claro, se você não ficar arrumando pretexto para assistir televisão.
A Liza, por exemplo, acordou, pegou o computador, e está aqui, escrevendo.
Isabela Daguer é estudante de Design, fotógrafa de iPhone, vendeu a alma pro Marketing e descobriu, nessa de “hoje é fácil criar um blog legal”, que só é completa escrevendo. Muita vida, pouco tempo, e outras coisas.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments