Raquel Cozer, na Folha.com

Estamos cansados de ler em telas.
Elas ferem nossos olhos e exigem óculos especiais.
Nós sempre as quebramos quando andamos em esteiras rolantes.
É tempo de redesenhar nossos aparelhos de leitura.
Vamos começar tornando-os mais interativos (passar os olhos linha a linha; segurar e virar para ler mais).
Seu peso deve ser proporcional à quantidade de informação dentro.
Vamos usar um texto sem brilho envolto numa camada protetora de polpa de madeira (não precisa de óculos especiais; menos fadiga ocular; biodegradável).
Os novos aparelhos de leitura podem ter uma função secundária: decoração doméstica.
Bem, eles podem tornar difíceis as viagens com máquinas propulsoras.

***

A tira saiu no mês passado no Sunday Book Review, do “New York Times”, assinada por Grant Snider, estudante de ortodontia (!) na Universidade de Colorado-Denver que assina o blog Incidental Comics, atualizado semanalmente, e vez por outra publica em jornais.

(Andar lendo no Kindle na esteira rolante da Linha 3-Amarela: um clássico do século 21.)

Vai na linha de um cartum que postei em 2010, do “USA Today”, assinado por Jeff Stahler (que, hm, soube agora que andou sendo investigado por plágio, devido a casos como este aqui).

***

Para quem é só um pouco nostálgico, o Mashable sugere 10 capas para Kindle com cara de capas de livros. Só tem o problema de fazer parecer que você lê muuuuito devagar, para andar por aí sempre com o mesmo livro, e justo um tão magrinho.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments