Tufão lê "A Metamorfose" em "Avenida Brasil"

Publicado pela UOL

Após ler “A Metamorfose”, de Kafka, e “Madame Bovary” – obra de Flaubert que ganhou de presente de Nina (Débora Falabella) –, Tufão (Murilo Benício) vai ler Machado de Assis em “Avenida Brasil”. No capítulo que vai ao ar no próximo dia 17, o ex-jogador de futebol aparecerá com um exemplar do livro “Memórias Póstumas de Brás Cubas” nas mãos.

A dica de leitura, mais uma vez, vai partir de Nina (Débora Falabella). Ao entrar no quarto e encontrar a chef de cozinha com Carminha (Adriana Esteves), Tufão a elogia. “Nina, tô adorando a dica que você me deu”, diz Tufão, mostrando o livro. “Quem diria que eu ia ler um clássico da literatura brasileira, entender, e ainda gostar?!”, completa ele.

Crítica, Carminha pergunta ao marido qual a serventia do livro e ainda debocha dele. “Clássico, pra mim, é no Maracanã, o que você devia estar batalhando pro seu filho participar”, afirma a vilã.

Depois que a mulher sai, Tufão começa a contar a Nina o que está achando de “Memórias Póstumas de Brás Cubas”. “Mas esse Machado de Assis é um tremendo de um gozador. Fazer uma história contada por um morto? Me explica uma coisa, Nina: quando o Brás Cubas tá lá no caixão e a Virgília vai lá…”, pergunta ele.

O que Tufão nem imagina é que todas as indicações de leitura de Nina são metáforas para vida do jogador na trama da novela. Veja as referências:

OBRAS INDICADAS POR NINA TÊM RELAÇÃO COM A NOVELA

 

“A Metamorfose” conta a história de Gregor Samsa, um sujeito obrigado a se tornar caixeiro-viajante, que deixou de ter vida própria para suportar financeiramente sua família. Um dia, ele acorda transformado em um inseto repugnante. Vítima do asco e do desprezo de seus familiares, Samsa passa a enxergar a natureza humana de forma completamente diferente e percebe que o que o unia a seus parente era apenas o dinheiro. Embora a referência não seja exata, lembra bem a história de Tufão, que após cair em decadência no futebol, vive para sustentar a família.

 

“Madame Bovary”, escrito por Gustave Flaubert, foi o segundo livro lido pelo jogador por indicação de Nina. O romance conta a história de Charles Bovary, um médico interiorano apaixonado pela mulher, Emma. O casal tem uma filha e mora em uma casa confortável. Tudo parece tranquilo, até que o cotidiano leva Emma ao tédio e, consequentemente, ao adultério.

 

“Memórias Póstumas de Brás Cubas” é, como o título diz, uma biografia escrita por um personagem já morto. Entre suas recordações, está seu romance com Virgília, que deveria ter sido sua mulher, mas que prefere casar com outro homem e, mais tarde, acaba se tornando amante de Brás Cubas. Para manter o romance em segredo, o protagonista do livro suborna uma mulher para que ela finja morar em uma casa que serve apenas de cenário para os encontros amorosos entre Cubas e Virgília. Mais ou menos como fazem Carminha e Max, que têm um “cafofo” usado para que possam trair Tufão e Ivana sem levantar suspeitas.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments