Editora Globo

Publicado na Revista Galileu

Se você é daqueles que não pode ver um pedacinho de papel em branco que já começa a rabiscar, esse projeto é pra você. Mas, se por outro lado, você só usa aquele bloquinho de anotações para não esquecer as compras do mês, esse projeto também pode ser pra você.

Steven Peterman e Shane Zucker criaram o Projeto Sketchbook há quarto anos, quando eram estudantes de arte. O objetivo é simples: “juntos, milhares de pessoas criativas de todo o mundo estão montando uma biblioteca viajante de livros de arte.”

Os participantes do projeto pagam uma taxa de 25U$ (aproximadamente R$50,00) recebem um Moleskine pelo correio, preenchem com os desenhos que quiserem e depois o retornam. A taxa cobre o valor do caderno e o tour nacional para que ele seja exposto.

Só neste ano foram enviados cerca de 29 mil cadernos e quase 10 mil foram recebidos de volta. Os participantes fazem parte de um grupo bem heterogêneo, a faixa etária vai de 2 a 90 anos.

“As pessoas fazem de tudo. Desde desenhos simples a lápis até cartazes enormes que dobram pra fora do livro, alguns fazem recortes malucos. É a coisa mais legal, você nunca sabe o que vai receber”, comenta Peterman.

A biblioteca está crescendo cada vez mais e até escolas resolveram encarar a novidade. “Encorajamos as pessoas a fazer o que elas querem. Temos até escolas do ensino fundamental, cada criança faz um livro ou uma página.”

Peterman comenta que algumas pessoas fazem vários livros e outras não passam nem da primeira página, mas mesmo assim eles recebem mensagens gratificantes com relação ao projeto. “Recebemos diversos emails de pessoas mais velhas que dizem ‘Eu não faço arte há 20 anos e esse projeto me permitiu fazer de novo’.”

A próxima rodada do Sketchbook abriu inscrições no dia 15 de abril e ainda aceita participantes. A próxima rodada do Sketchbook abriu inscrições no dia 15 de abril e ainda aceita participantes.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments