Publicado por Época São Paulo

Imagens do coletivo português Kameraphoto serão vendidas a partir de R$ 200

“Ano de dois mil e três, Portugal. Paisagem de água e rocha marítima. Duas mulheres sem roupa flutuam na água de uma praia do sudoeste alentejano.”

Como será a fotografia descrita por essa frase? Esse é o conceito da mostra “TXT”, organizada pelo Hotel Galeria, que trará apenas um texto descritivo de cada foto, deixando que o visitante imagine a cena.

Apesar de insólita, a exposição terá um funcionamento bem simples. Os papéis com descrições objetivas das 50 fotografias ficarão grudados na parede. Quem se interessar pelo texto pode retirar o papel da parede e entregar ao caixa juntamente com o valor de R$ 200. Somente então receberá um envelope em tamanho A3, com a foto comprada dentro. Cada imagem terá três cópias, duas para o coquetel do dia 24 que acontece das 17h às 21h. As demais 50 reproduções ficarão disponíveis para comercialização até o dia 29, por R$ 300.

“Estou tentando trazer esse espírito de ‘experimentação’ para a galeria, seja com exposições de jovens artistas, seja com artistas consagrados”, diz Emmanuelle Saeger, idealizadora do Hotel Galeria. Entre os fotógrafos que participam da mostra estão 12 expoentes do coletivo português Kameraphoto, incluindo João Pina e Nelson d’Aires, premiados no Festival Estação Imagem deste ano.

As descrições abaixo também farão parte da exposição, você consegue imaginar como são as fotos?

“Um poste, ao centro, sustenta mariposas brancas e amarelas. Em fundo uma paisagem com neblina. Do lado esquerdo, morro com vegetação.”

“Fotografia noturna, mulher de longos cabelos negros e olhos azuis é a figura central. Tem um casaco de pelo felpudo de um laranja muito vivo e calças pretas. As mãos estão agarradas uma à outra e ela está à espera. O olhar é vazio, para o infinito. Vê-se a entrada de uma porta negra, com vários intercomunicadores e uns grafites desenhados a branco (no lado direito da imagem). Do lado esquerdo da imagem temos a continuação da parede do prédio, prédio de pedra cinzenta, com umas riscas intercaladas a negro.”

Veja como são as fotografias descritas no texto:

“Ano de dois mil e três, Portugal. Paisagem de água e rocha marítima. Duas mulheres sem roupa flutuam na água de uma praia do sudoeste alentejano.” (Foto: Nelson d'Aires/Divulgação)

“Um poste, ao centro, sustenta mariposas brancas e amarelas. Em fundo uma paisagem com neblina. Do lado esquerdo, morro com vegetação.” (Foto: Valter Vinagre/Divulgação)

“Fotografia noturna, mulher de longos cabelos negros e olhos azuis é a figura central. Tem um casaco de pelo felpudo de um laranja muito vivo e calças pretas. As mãos estão agarradas uma à outra e ela está à espera. O olhar é vazio, para o infinito. Vê-se a entrada de uma porta negra, com vários intercomunicadores e uns grafites desenhados a branco (no lado direito da imagem). Do lado esquerdo da imagem temos a continuação da parede do prédio, prédio de pedra cinzenta, com umas riscas intercaladas a negro.” (Foto: Pauliana Valente Pimentel/Divulgação)

dica do Guilherme Nascimento

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments