Publicado pela Revista Cult

A Fundação Biblioteca Nacional inaugura em maio a exposição “A mulher eterna: a mulher dentro e fora do seu tempo”.
Com jornais do século 19, clássicos da literatura e outros destaques, a mostra apresenta a luta pela emancipação feminina e a trajetória da mulher na sociedade brasileira em 20 obras.

“Até o século 19, a mulher era submissa e as que ousaram romper com isso tiveram que enfrentar tabus”, lembra Anna Naldi, chefe da Divisão de Obras Gerais da Biblioteca Nacional.

Um exemplo das publicações em destaque é o jornal “Eco das Damas”, fundado em 1879 pela carioca Amélia Carolina da Silva Couto. Uma reprodução da primeira página de um exemplar de 1888 será exposta.

Além da Julia Lopes de Almeida, escritora carioca reverenciada pela mostra, outras figuras serão homenageadas, como a gaúcha Nísia Floresta, uma das precursoras do feminismo brasileiro.

“A mulher eterna: a mulher dentro e fora do seu tempo”
Onde: Fundação Biblioteca Nacional – Avenida Rio Branco, 219. Centro. Rio de Janeiro – RJ
Quando: até 31/5
Quanto: gratuito

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments