Caio do Valle, no Estadão.com

“Eu gosto muito de romances, mas leio pouco, por falta de tempo”, desabafa uma personagem do conto Missa do Galo, de Machado de Assis. A trama se passa no Rio de Janeiro do século 19, mas a reclamação vale para muita gente da São Paulo contemporânea. A correria e o preço dos livros afastam paulistanos da leitura. Mas um projeto em quatro terminais de ônibus da cidade tem ajudado a mudar essa situação para algumas pessoas.

Batizado de “De Mão em Mão”, o programa distribui, de graça, coletâneas de textos consagrados da literatura nacional aos usuários do transporte público. É chegar e pegar.

Um dos livros traz justamente o conto mencionado, além de várias outras histórias curtas e saborosas do autor carioca. A publicação começou a ser entregue em dezembro aos passageiros dos terminais Mercado, no centro, Pirituba, na zona norte, Santo Amaro, na sul, e A. E. Carvalho, na leste. Outros dois títulos se juntaram a ela em maio: A Nova Califórnia, de Lima Barreto, e Contos Paulistanos, de Antônio de Alcântara Machado.

A tiragem de cada um é de 20 mil exemplares. O que não significa que só os 20 mil primeiros interessados a retirar as cópias de determinado livro serão beneficiados. Isso porque a ideia não é simplesmente dar as publicações. A intenção é que, depois de ler, a pessoa devolva o livro em algum dos pontos de distribuição, no interior dos terminais.

Assim, mais pessoas poderão ter acesso aos textos. Na tarde de sexta-feira, 8, a auxiliar de serviços ambientais Maria Glaudeni, de 33 anos, levou a obra de Machado de Assis para ler no ônibus. Ela retirou o livro no Terminal Mercado, de onde sai o Expresso Tiradentes. “Já li o Dom Casmurro (do mesmo escritor) e adorei. A iniciativa é boa, mas também poderiam distribuir livros um pouco mais populares, para adolescentes, como Harry Potter e Percy Jackson.”

A ação é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Cultura e a Editora Unesp, da Universidade Estadual Paulista, e tem apoio da São Paulo Transporte (SPTrans).

Uma das atendentes do estande de entrega de livros no Terminal Mercado, Mirra de Lima, de 22 anos, afirma que boa parte das pessoas que retiram publicações ali tem ensino médio ou está cursando o superior. Além disso, a maioria mora nas zonas leste e sul e tem de 21 a 40 anos. “Em média, em um dia, saem uns 200 livros e são devolvidos três ou quatro.”

A auxiliar de montagem Solange Ribeiro, de 37 anos, já havia retirado e lido Missa do Galo e Outros Contos, mas, em vez de devolvê-lo no terminal, o passou para uma amiga. Solange, que não costuma comprar livros, foi na sexta-feira buscar o seu exemplar de A Nova Califórnia. “Combinei que, depois, vou trocar com outra amiga, que pegou Contos Paulistanos.”

Cada pessoa só pode pegar um livro por vez. O serviço funciona de segunda a sexta-feira, das 10h às 20h. Aos sábados, das 10h às 18h. Não é preciso preencher cadastro, só responder a três perguntas sobre escolaridade, idade e moradia.

Mais informações sobre cada livro e onde pegá-los, no site do Projeto de Mão em Mão.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments