Biblioteca virtual ganha impulso com crescimento de internautas no Brasil

Biblioteca virtual ganha impulso com crescimento de internautas no Brasil Foto: Alexandre Durão

Publicado originalmente no Extra Online

Já pensou em ler todas as obras de Machado de Assis sem ter que comprar os livros? Ou apreciar uma das obras de Leonardo da Vinci? Pois isso é possível através do Portal Domínio Público.

A biblioteca digital desenvolvida em software livre foi lançada em novembro de 2004, com um acervo inicial de 500 obras. A partir da iniciativa, a proposta do Ministério da Educação (MEC) é “compartilhar o conhecimento, colocando à disposição de todos os usuários da rede mundial de computadores uma biblioteca que deverá se constituir em referência para professores, alunos, pesquisadores e para a população em geral”.

O Portal Domínio Público também disponibiliza conteúdos som, vídeo texto e imagem. O acervo disponível é composto, na maioria, por obras que se encontram em domínio público ou que contam com a devida licença por parte dos titulares dos direitos autorais pendentes. Além de português, é possível acessar obras em alemão, dinamarquês, espanhol, esperanto, finlandês, francês, galego, holandês, inglês, italiano, latim, norueguês, russo, sânscrito e sueco.

Com 1,8 milhão de acessos, “A Divina Comédia”, de Dante Alighieri, é o arquivo de texto mais acesso da bliblioteca virtual. Já nos arquivos de imagens, cinco obras de Leonardo da Vinci são as mais acessadas: “A Adoração dos Magos”, 161.542 acessos; “A Última Ceia”, 90.900 acessos; “Retrato de Mona Lisa – La Gioconda”, 79.722 acessos; “A Virgem dos Rochedos”, 77.622 acessos; e “A Anunciação”, 77.338 acessos.

Quem desejar, pode ainda colaborar com o portal. Há quatro modalidades: voluntário, digitalizando obras que já se encontram em domínio público; autor, cedendo obras de sua autoria; parceiro, cedendo os direitos autorais de obras que a sua organização – pessoa jurídica – detenha; e tradutor, traduzindo obras que já se encontram em domínio público.
A iniciativa de disponibilizar o acervo online não é exclusiva do MEC. A Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, por exemplo, disponibiliza seu acervo online. Algumas universidades também já aderiram à tendência. A Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), a Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP) e a Área de Engenharia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) são alguns exemplos. Para ver a lista completa, clique aqui.

Número de usuários ativos no Brasil aumenta

A tendência de disponibilizar o acervo online ganha força também quando são analisados os números da internet no Brasil. Uma pesquisa realizada pelo Ibope Nielsen Online mostra que a quantidade de usuários ativos chegou a 50,9 milhões de brasileiros em maio. Se comparado ao mesmo mês de 2011, o crescimento foi de 11%.

Outro dado importante é que o total de pessoas com acesso em casa ou no local de trabalho chegou a 68 milhões, o que significa um crescimento de 3% sobre o semestre anterior e 16% em relação ao mesmo período do ano passado.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments