Publicado originalmente no Correio da Manhã

A Biblioteca Municipal da Batalha vai emprestar equipamentos iPad aos utentes a partir de Janeiro de 2013 e desafiar, no próximo mês de Setembro, os idosos do concelho a escreverem livros electrónicos, anunciou António Lucas, presidente da autarquia, esta sexta-feira.

As duas iniciativas integram o projecto ‘E-leituras – Ler, Ouvir e Saber’, aprovado pela Fundação Calouste Gulbenkian, e cujo custo está estimado em 6 mil euros.

O projecto arranca em Setembro, em três Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) com 70 idosos: Irmandade da Santa Casa da Misericórdia da Batalha, Centro Paroquial de Assistência do Reguengo do Fetal e Centro Social e Paroquial de São Mamede.

Os utentes vão ser encorajados a escreverem, em cada uma das IPSS, um livro electrónico, sendo feita uma recolha de lendas e tradições relativas ao local em que está inserida a instituição.

Outro dos objectivos do projecto passa por familiarizar os idosos com as novas tecnologias, através do iPad, e transformá-los em potenciais leitores de livros electrónicos, que serão disponibilizados no início de 2013 pela Biblioteca Municipal da Batalha.

“A ideia é simples: conseguir que cada vez mais pessoas leiam cada vez mais”, sintetizou António Lucas.

O livro electrónico, que integrará histórias de origem popular e tradicional, deve estar concluído em meados de Novembro, passando a englobar uma lista de outros livros, no mesmo formato, que a biblioteca disponibilizará gratuitamente a partir de Janeiro, através do empréstimo de iPad.

Os 7.300 leitores activos da Biblioteca Municipal da Batalha, que agrega ainda o Pólo de São Mamede e a Biblioteca Itinerante, terão numa fase inicial, com este projecto, em que vão aceder a oito iPads, mediante uma caução cujo valor ainda não foi fixado, durante um período máximo de duas semanas.

Seis destes computadores portáteis – que vão funcionar como livros eletrónicos – são financiados pela Fundação Calouste Gulbenkian e dois pela Câmara da Batalha.

O ‘E-leituras – Ler, Ouvir e Saber’ pretende “obter junto dos públicos um resultado consistente no que toca à partilha e ao convívio inter-geracional, fomentando a leitura e a escrita em novos suportes multimédia”, segundo o documento que fundamenta a candidatura aprovada pela Gulbenkian.

Desde Junho que a Biblioteca Municipal da Batalha integra a rede de Bibliotecas Associadas da UNESCO.

A biblioteca dinamiza projectos como o da leitura inclusiva – apoiada pela Fundação Calouste Gulbenkian – e o do Biblioclube 24, que consiste num serviço de empréstimo automatizado de livros, que se encontram disponíveis dentro de uma máquina, 24 horas por dia, 365 dias por ano.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments