O escritor norte-americano Gore Vidal, em sua casa em Los Angeles (EUA), em outubro de 2006

Publicado originalmente na Folha de S.Paulo

O escritor norte-americano Gore Vidal morreu nesta terça-feira (madrugada de quarta no Brasil), aos 86 anos, em sua residência em Los Angeles, nos EUA.

“Vidal morreu em sua residência em Hollywood Hills de complicações de uma pneumonia”, informou seu sobrinho Burr Steers ao jornal “Los Angeles Times”.

Considerado um dos maiores escritores norte-americanos do último século, Gore Vidal começou a carreira cedo, escrevendo contos e poemas ainda na adolescência.

Seu primeiro romance, “Williwaw”, foi escrito quando tinha apenas 19 anos, a bordo de um navio, durante a Segunda Guerra Mundial. A obra, recebida com destaque por público e crítica, é baseada em suas experiências de guerra, no destacamento do porto do Alaska.

Na década de 1950 escreveu ficções baratas e livros de suspense utilizando-se de três pseudônimos diferentes. Nessa mesma década escreveu também “À Procura de um Rei”, “Verde Escuro, Vermelho Brilhante”, “O Julgamento de Páris”, e “Messias”.

Nem todos os seus livros alcançaram sucesso de público e vendas, e, nesse período, para reforçar seu caixa, Gore dedicou-se a escrever peças de teatro e roteiros para televisão e filmes de Hollywood, para receber o que considerava “dinheiro bom e rápido”.

O escritor também sempre foi ativo politicamente. No ano de 1960 Gore se lançou na política, como candidato democrata ao Congresso, pelo estado de Nova York, mas acabou não sendo eleito.

Entre 1970 e 1972, presidiu o People’s Party (de tendência liberal), e em 1982 se apresentou como senador pela Califórnia e ficou perto de conquistar uma cadeira no Congresso ao obter mais de 500 mil votos.

Sua identificação política esteve sempre relacionada à defesa dos direitos das minorias e ao combate do que costumava chamar de “imperialismo” dos EUA. Sua oposição ao partido republicano é notória, e ficou particularmente conhecido por suas críticas cáusticas ao governo de George W. Bush, o qual denominou como “o mais desastroso de nossa história”.

Segundo Gore Vidal, os EUA vivem um sistema político de um só partido com duas alas direitistas.

Gore Vidal, que escreveu em 1995 seu livro de memórias “Palimpsest”, andava de cadeira de rodas desde 2008, quando fraturou a coluna ao cair em um restaurante em Los Angeles.

Candidato eterno ao Nobel da Literatura, o escritor era primo do ex-vice-presidente dos EUA Al Gore e meio-irmão da ex-primeira dama Jacqueline Kennedy.

foto: France Presse

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments