Imagem Google

Publicado originalmente no Jornal do Brasil

Em vez das melodias que tocam durante uma espera telefônica, ouça poesia. É o que o Ministério da Cultura (MinC) oferece a partir desta quinta-feira (2) para quem ligar para o órgão e não conseguir atendimento imediatamente. A medida faz parte da segunda parte da campanha Leia Mais, Seja Mais, anunciada hoje no Rio de Janeiro.

Com custo de R$ 4 milhões, esta etapa terá também a veiculação de comerciais mostrando a leitura como atividade prazerosa. As peças publicitárias serão exibidas em emissoras de televisão e rádio comerciais e públicas até o fim de agosto. Na primeira etapa, foram veiculados anúncios em 74 revistas e jornais.

A meta é estimular a leitura principalmente, entre as famílias das classes C, D e E, que concentram cerca de 40% da população e a maioria dos não leitores no país, segundo levantamento do Instituto Pró-Livro, divulgado em março. Segundo a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, o país tem hoje tem hoje 50% de leitores(pessoas que leram pelo menos um livro nos últimos três meses, inteiro ou em partes.)

Para atingir o público da campanha, os comerciais vão passar em horário nobre (período das 18h às 24h), mas não tem a intenção de disputar o público das novelas, assegurou a ministra Ana de Hollanda. Para ela, “a ideia é chamar atenção para a delícia de ler” e fazer com que os brasileiros incluam esse hábito no seu cotidiano.

“Durante o translado entre o trabalho e local de moradia, que pode levar cerca uma, duas, até três horas, o cidadão pode puxar um livro no ônibus, no metrô. Muita gente já faz isso. Não dá para ter televisão, nesses casos, mas um livro, sim”, disse a ministra. Segundo ela, dessa forma a viagem fica mais rápida e agradável .

A campanha também chega à internet e às redes sociais. O usuário será incentivado a incluir a capa do seu livro favorito na imagem do perfil do Facebook, por exemplo.

Outra frente é a utilização nas esperas telefônicas do ministério de trechos da obra de poetas como Gonçalves Dias e de Cládio Manuel da Costa. As gravações foram feitas por atores e estão disponíveis para download no site do órgão.

“Está tudo à disposição, gratuito e sem custos”, disse o coordenador da campanha e presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim. Existe a sugestão de incentivar o uso das mensagens por empresas detelemarketing.

A Leia Mais, Seja Mais integra o Plano Nacional de Livro e Leitura (PNLL), uma iniciativa de R$ 373 milhões que conta com apoio de vários órgãos de governo e inclui cerca de 40 projetos para a cadeia produtiva do livro, bibliotecas e incentivo à leitura.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments