Lançamento de autobiografia de Edir Macedo em São Paulo
Lançamento de autobiografia do bispo Edir Macedo na cidade de São Paulo

Alberto Pereira Jr. e Anna Virginia Balloussier, na Folha de S.Paulo

Lançamento de livro de Edir Macedo neste sábado (1) reúne centenas de pessoas em São Paulo. O bispo, no entanto, não participou do evento.

“Queremos ser igual a ele. Se ele não tivesse a ousadia de seguir em frente, muitas almas teriam sido perdidas”, diz Helen Nayani Rangel, 20, de Diadema, referindo-se ao bispo Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus.

Rafaela e cerca de 30 frequentadores da Universal de Piraporinha, no ABC paulista, juntaram-se a centenas de outras pessoas. Muitas caravanas vieram para o lançamento da autobiografia “Nada a Perder”, de Macedo, na Livraria Cultura, do Conjunto Nacional.

A fila de fiéis, desde as 11h, dava a volta em todo o quarteirão, formado pela Avenida Paulista, pelas ruas Augusta e Padre João Manuel e pela alameda Santos.

O bispo, contudo, não apareceu.

“O que eu mais quero é pegar na mão dele. Pegar uma unção”, afirma Marcelo Gonçalves, 21, de Mauá.

“Falaram para a gente comprar [o livro], que ele ia autografar”, diz Luciana Lourenço, 28, de Osasco.

Informada pela reportagem de que Edir Macedo não apareceria, Rafaela Mendonça, 24, de São Bernardo, não desanimou: “Tudo bem! Já é uma bênção participar desse evento”.

SUBSTITUTOS DE MACEDO

No lançamento paulistano de “Nada a Perder”, Edir Macedo foi representado pelos bispos Jadson Santos e Guaracy Santos e por Douglas Tavolaro, vice-presidente de jornalismo da Record. Os três é que autografavam os livros. Um telão mostrava vídeos com depoimentos de Macedo via Skype.

A Livraria Cultura tinha no seu estoque 5.000 exemplares. Duas horas depois de iniciada a sessão, metade já havia saído.

Artistas da Record também passaram pelo evento, como a apresentadora Ana Hickmann, os jornalistas Ana Paula Padrão, Paulo Henrique Amorim e Celso Zucatelli. O bispo Honorilton Gonçalves, vice-presidente artístico e de programação da emissora, também compareceu.

No lançamento carioca, também realizado nesta semana, 2.000 cópias foram vendidas em quatro horas.

Ao todo serão feitos 30 eventos para o livro, em cidades como Santos, Campinas e Belo Horizonte.

‘NADA A PERDER’

Escrito em parceria com Tavolaro, “Nada a Perder” (Planeta, R$ 35) se propõe a contar “os segredos espirituais mais íntimos” de Edir Macedo.

Os primeiros capítulos relatam os 11 dias em que o bispo passou na prisão, em 1992. Vinte anos depois, Macedo tenta desmontar as acusações feitas contra ele na época.

Ele foi acusado de “ser charlatão, curandeiro e estelionatário”. Um dos seus advogados era Márcio Thomaz Bastos, que anos depois viria a ser ministro da Justiça.

“O meu nome foi surrado por anos seguidos. Para quem me odiava, bispo Macedo era sinônimo de bandido. Isso é assim até hoje”, relata Macedo em um trecho do livro.

foto: Anna Virginia Balloussier/Folhapress

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments