Rodrigo Salem na Folha de S. Paulo

Apesar de ter morrido há quase 40 anos, o escritor J.R.R. Tolkien continua “gerando” novos títulos. A editora britânica HarperCollins anunciou oficialmente, nesta terça-feira (9), a publicação de “The Fall of Arthur” (“A Queda de Arthur”), um poema de 200 páginas cuja existência era conhecida por poucos estudiosos do autor da saga “O Senhor dos Anéis” (1954).

O livro foi encontrado e editado por Christopher Tolkien, filho do escritor, e responsável pela edição de vários manuscritos do pai desde sua morte. A prática não é incomum, já que Christopher editou e até acrescentou notas em “O Silmarillion”, publicado quatro anos depois da morte do escritor, em 1973.

Depois do sucesso da trilogia “O Senhor dos Anéis” no cinema, a procura por novos textos do criador de Frodo, Legolas e Aragorn se intensificou. Em 2007, a própria HarperCollins publicou “Os Filhos de Húrin” (lançado no Brasil pela WMF Martins Fontes dois anos depois), uma versão mais longa do romance trágico incluído em “O Silmarillion”.

Associated Press
O escritor J.R.R. Tolkien, autor de "O Senhor dos Anéis"
O escritor J.R.R. Tolkien, autor de “O Senhor dos Anéis”

Em duas semanas, o livro já havia alcançado 900 mil cópias, o dobro do esperado pela empresa, que logo emplacou “A Lenda de Sigurd and Gudrún” (2009 nos EUA e 2010 no Brasil, pela editora Martins), um poema de Tolkien baseado na mitologia nórdica, uma de suas paixões.

“A Queda de Arthur” tem características similares. Tolkien imprime sua versão dos últimos dias do Rei Arthur, suas batalhas nas florestas saxônicas e as artimanhas para impedir a ascensão do bastardo Mordred ao trono da Bretanha. O folclore arturiano já foi tema de uma obra do autor, o menos ambicioso “Sir Gawain and the Green Knight”.

A descoberta joga uma luz sobre uma das poucas obras consideradas perdidas de Tolkien pelos historiadores. O escritor Humphrey Carpenter cita a obra em “Tolkien: Uma Biografia” e o próprio Tolkien menciona “A Queda de Arthur” em cartas para amigos. Mas o original, que teria sido escrito alguns anos antes de “O Hobbit” (1937), só foi encontrado por Christopher Tolkien recentemente, em Oxford, Inglaterra -ele preserva o texto original e adiciona três ensaios à edição, inclusive um que revela ligações entre a obra e “O Senhor dos Anéis”.

“Nunca pensamos que essa obra fosse ver a luz do dia”, declarou Chris Smith, editor da HarperCollins, ao jornal inglês “The Guardian”. “O texto dá nova vida a um de nossos maiores heróis, o liberando das amarras românticas do tratamento de [Thomas] Malory e revelando um Arthur como um indivíduo complexo, que precisa passar por cima da maior das traições para libertar seu reino.”

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments