Internet ajudou Amanda Gurgel (PSTU) a receber 33 mil votos, mais que o candidato a prefeito de seu partido; primeiro projeto será aumentar investimento em educação

Publicado em O Dia

O protesto de Amanda Gurgel, que virou hit no YouTube no ano passado, levou a professora do ensino médio de Natal à Câmara Municipal como a vereadora mais votada da capital potiguar com 32.819 votos – quase três vezes e meia mais que o segundo colocado. Sozinha, ela obteve 8,59% dos quase 430 mil votos depositados nas urnas da cidade. “Eu não esperava tanto voto. Foi surpreendente, mas a ficha já caiu”, afirma ao iG .

Candidata única do PSTU, a professora ficou famosa ao constranger os deputados estaduais do Rio Grande do Norte ao perguntar se eles “conseguiriam viver e manter seu padrão de vida com o salário de R$ 930” recebido por ela.

Bancada de três

Militante do PSTU antes do vídeo como mais de 2 milhões de acessos de internet, Amanda diz que a decisão de concorrer foi tomada depois que as pessoas a incentivaram nas ruas de Natal. “Não foi uma ideia do partido ( a candidatura ), foi uma reivindicação dos trabalhadores que me paravam na rua e diziam que eu devia concorrer”, diz.

O PSTU, então, concentrou todas as forças na sua candidatura, aproveitando os 17 segundos que tinham direito para expor a candidata única durante o programa da coligação com o PSOL. “O candidatos do PSOL se revezavam ( na propaganda eleitoral ), enquanto eu aparecia todo dia”, afirma.

A estratégia deu certo. Além de Amanda, a coligação PSTU-PSOL elegeu Sandro Pimentel e Marcos. Juntos, os colegas de PSOL não obtiveram 2.115 votos – volume muito distante do coeficiente mínimo de 14 mil para cada postulante a uma cadeira na Câmara de Natal, composta por 29 membros.

Meta: 30% para educação

A professora garante que a bancada esquerdista de três integrantes “não pensa em fazer acordos, como os outros partidos” para aprovar projetos de lei. “Nunca tive ilusões de que é difícil fazer como vereadora”, reconhece.

Amanda antecipa que pretende utilizar o apoio popular para passar pelo crivo da Câmara suas ideias – entre elas, uma lei que obrigue a capital potiguar a destinar 30% de seu orçamento para educação. “A Lei Orgânica do Município diz que tem de ser 25% ( do orçamento para educação ), mas a prefeitura gasta só 17%”, diz.

A convocação aos quase 33 mil eleitores foi feito no domingo, logo após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmar a vitória da vereadora, que recebeu mais do que o dobro dos votos do candidato à prefeitura por seu partido – Professor Robério teve 13.552 votos.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments