Como ainda não sabe ler, Isabela acompanha a leitura pelas figuras – foto: arquivo pessoal

Publicado originalmente no Em Tempo

Cada vez mais os adultos estão incentivando menos as crianças ao hábito da leitura. Este dado foi divulgado semana passada pela Fundação Itaú Social com o Instituto Data Folha. De acordo com a pesquisa, apesar de 96% dos adultos considerarem importante o incentivo da leitura para crianças de até 5 anos, apenas 37% informaram ter o hábito de contar as histórias e ler para elas.

A leitura estimula o desenvolvimento intelectual e cultural, como também na formação educacional, e ainda reforça os valores e reduz o tempo livre com curiosidades e estímulo do raciocínio. Na Região Norte, de acordo com a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, realizada pelo Instituto Pró-Livro em março deste ano, a média de livros lidos nos últimos três meses pesquisados foi de 1,51 livro, sendo apenas 0,08% desses de literatura indicados pela escola e 0,17% lidos por iniciativa própria.

Os pais de Isabela Fierro, 5, o jornalista Leonardo Fierro, 33, e a contadora Alessandra Margatho, 35, estão incluídos nos 37% dos que incentivam a leitura dos filhos, e contam que desde que a sua filha tinha dois anos, adquiriram o hábito de sempre ler para a jovenzinha antes de ela ir dormir.

“Minha mãe sempre me incentivou a ler. Aos 12 anos tinha mais de cem títulos da coleção Vaga Lume, e foi assim que adquiri o hábito da leitura. Com a Isabela não foi diferente, mas começamos a leitura com a intenção de fazê-la dormir, e quando observamos, na verdade ela havia começado a gostar e sempre a pedir mais livros, e isso se tornou um hábito”, conta Fierro.

Depois de três anos, a própria Isabela escolhe o livro que quer que seja lido pelos pais antes de dormir. Como ainda não aprendeu a ler, sempre acompanha a leitura pelas figuras.

Já a empresária executiva Stephanie Lauren Pitts, 25, mãe de Isaac Levy, 5, incentiva a leitura do filho desde os três anos, período em que o colocou na escola. A empresária não lê durante as noites, mas sempre propõe as leituras recomendadas como tarefa escolar.

“A listas dos livros didáticos sempre são grandes, e faço com que o meu filho leia todos, pois após a leitura, os seus professores passam vários questionários voltados para o que foi lido, então sempre estou a cobrar a leitura dos didáticos”, explica Stephanie.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments