Publicado originalmente na Veja.com

Após a vitória do chinês Mo Yan no Nobel de Literatura, a editora do escritor antecipou o lançamento de sua nova obra no país e o livro foi um sucesso de vendas, o que já está sendo chamado de “Mo mania”.

“Depois que Mo ganhou o Nobel, vendemos mais de mil livros seus a cada dia”, disse a companhia Beijing Genuine and Profound Culture Development, encarregada tanto da distribuição do livro como da possível adaptação de suas obras para o cinema.

O Nobel fez a editora de Mo antecipar o lançamento de livro e possibilitar sua compra pela internet. Na capa da obra há o logotipo da condecoração e a frase: “Escrito pelo primeiro ganhador chinês de um Nobel de Literatura, Mo Yan”. Em 2000, porém, o escritor nascido no país asiático mas naturalizado francês Gao Xingjian venceu o prêmio, mas a China não o reconhece como cidadão do país.

O novo livro de Mo é dividido em três obras, Farewell to My Concubine, Wife of Boiler Worker e To Write With a Focus on People. As duas primeiras são contos de amor com contexto histórico e a terceira fala sobre jovens urbanos enviados ao campo durante a Revolução Cultural, experiência pela qual Mo passou em sua própria vida.

Apesar do furor causado pelos seus livros entre os chineses, que não conheciam muito o escritor antes do prêmio, o vencedor do Nobel continua isolado e sem falar com jornalistas. Mo Yan, de 57 anos, conserva a atitude austera que o levou a dizer, minutos após levar o prêmio, que “ganhar não significa nada”.

Jornais chineses informaram ainda que Mo rejeitou presentes valiosos, entre eles uma Ferrari.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments