Elijah Wood no papel de Frodo, um dos
protagonistas de ‘O senhor dos anéis’
(Foto: Divulgação/Divulgação)


Publicado originalmente no G1

Os responsáveis pelo espólio do escritor J. R. R. Tolkien (1892-1973) abriram nesta segunda-feira (19), em Los Angeles, um processo de US$ 80 milhões contra o estúdio New Line, empresa subsidiária da Warner Bros., que filmou os três filmes inspirados na obra mais famosa do autor, “O senhor dos anéis”. A informação é da revista “The Hollywood Reporter”.

De acordo com reportagem do site da publicação, os herdeiros de Tolkien alegam que a Warner está “ultrapassando seus direitos quando se trata da comercialização de propriedade de ‘O senhor dos anéis'”. A “Hollywood Reporter”, que informa ter obtido uma cópia da ação judicial, acrescenta que a HaperCollins, editora dos livros, apoia a família do escritor.

A infração dos direitos autorais estaria especificamente ligada à violação de contrato, que previa a criação apenas de mercadoria “tangível”, caso de criações que reproduzem personagens e figurinos – e não exploração de conteúdos digitais, como games jogados na internet, por exemplo. A família usa o termo “caça-níqueis online” para se referir ao que a Warner tem feito, segundo a “Hollywood Reporter”.

A ação vem à tona poucas semanas antes da estreia de “O Hobbit: Uma jornada inesperada”, também baseado na obra de J. R. R. Tolkien. Em 2008, a família do autor já entrado com um processo contra a Warner, acusando a empresa de não ter pago “nem um centavo” dos lucros obtidos com a trilogia “O senhor dos anéis”, estimados em cerca de US$ 6 bilhões desde a estreia do capítulo inaugural, em 2001.

Na época, os herdeiros e a HarperCollins figuravam como codemandantes da ação apresentada pelo Tolkien Trust, grupo de caridade com sede na Grã-Bretanha, na Corte Superior de Los Angeles.

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments