O Eu te dedico é um Tumblr muito interessante para os fãs de livros. Ele reúne fotos de dedicatórias de obras variadas, sempre enviadas por internautas. Conheça abaixo alguns posts de lá:

“Bia,

Que todas as famílias sejam
loucas e apaixonadas como os
Buendía. Tudo seria mais intenso e
engraçado. Talvez todo mundo tenha
algo de algum deles, e a magia seja
normal e inexplicável.

Flip
28/11/2012”

>Cem Anos de Solidão . Gabriel García Márquez

>Enviada por Felipe Ivanicska

>Ele conta: Depois de anos prometendo livros para a minha irmã de 14 anos, com quem não tenho muito contato, resolvi comprar todos os clássicos que eu acho essenciais para ela começar a montar sua biblioteca e seu universo.

“Este livro
vai para a Mayna,
a minha
Geléia de morango!

13/11/2006
Nit “

>Ei! Tem Alguém aí? . Jostein Gaarder

>Enviada por Mayna (coleção particular)

>Ela conta: ganhei o livro Ei, tem alguém aí? do escritor Jostein Gaarder, do meu querido amigo Nietzsche Cywisnki.

“Para a Clara.

Cinco meses depois, venho estampar
de caneta preta o gesto de lhe
presentear com esta Mrs Dalloway: uma
edição de capa dura, como você gosta!
Pareceu-me o presente ideal para
dizer a uma iniciante do mundo de Virginia:

Ei, você é linda!

Que suas paixões continuem fortes
como nunca e, aos poucos, você aprenda
a se apropriar das experiências.

Com o amor guardado desde junho,

Telma Eugênio
Nov/2012”

>Mrs Dalloway . Virginia Woolf

>Enviada por Telma (coleção particular)

“De um exagerado
para uma exagerada.

Jogado aos seus pés,
Gabriel”

>Cazuza – Preciso Dizer que te Amo . Lucinha Araujo & Regina Echeverria

>Enviada por Lívia Moscatelli (coleção particular)

>Ela conta: Esse livro eu ganhei de aniversário quando completei 18 anos do meu ex-namorado. O título do livro é uma canção maravilhosa do Cazuza, mas a importância real dela para mim foi principalmente porque era a “nossa” música, aquela que embalou muitas noites dos nossos tempos juntos. Sabe aqueles amores conturbados e intensos que marcam a adolescência inteira? Era o que resumia nós dois, simplesmente exagerados um pelo outro.

“A Vera,
com beijo do
colega, do amigo,
do ‘deserdado filho
da Vera’

Joelmir Beting
15-08-85”

>Os Juros Subversivos . Joelmir Beting

>Enviada por Vera Lucia Alves (coleção particular)

>Ela conta: Tive o privilégio, a honra, de trabalhar com o Joelmir no jornalismo da Band. Todas as noites, antes de entrar no ar, ele dava uma passadinha na minha sala de pauteira para dar uma última olhada nos jornais e colher dados para os seus comentários e a gente patia um papo. Era sempre assim. O lançamento do seu livro “Os Juros Subversivos” coincidiu com sua despedida da Band naquele ano de 1985. Estava indo para a Globo. Daí a expressão “filho deserdado de Vera”, como despedida.

Dica da Bruna Ribeiro

Comments

comentários

Powered by Facebook Comments